Lafarge expressa confiança na fusão com Holcim e vê recuperação na Europa

Fusão entre Lafarge e Holcim criará o maior grupo de cimento do mundo, com 44 bilhões de dólares em vendas anuais

REUTERS

25 de julho de 2014 | 12h14

A fabricante de cimento Lafarge disse nesta sexta-feira que está no caminho certo para sua planejada fusão com a suíça Holcim, acrescentando que vê os primeiros sinais de uma recuperação na Europa.

O grupo listado em Paris registrou outra queda nas vendas trimestrais e no lucro, principalmente devido à força do euro contra moedas de mercados emergentes e contra o dólar canadense. O resultado foi afetado ainda pela diminuição da escala da companhia, conforme a Lafarge se desfaz de ativos para cortar sua dívida.

No entanto, os resultados ficaram mais ou menos em linha com as expectativas dos analistas, e a fabricante de cimento manteve suas metas para o ano.

A fusão entre Lafarge e Holcim, anunciada em abril, criará o maior grupo de cimento do mundo, com 44 bilhões de dólares em vendas anuais.

O lucro da Lafarge antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) caiu 2 por cento no segundo trimestre, a 812 milhões de euros, e as vendas caíram 5 por cento, para 3,37 bilhões.

A companhia busca diminuir sua dívida para menos de 9 bilhões de euros neste ano e confirmou que espera que a demanda por cimento cresça entre 2 a 5 por cento nos seus principais mercados.

"A situação na América do Norte está melhorando, o crescimento continua em mercados emergentes, e vemos os primeiros sinais de recuperação na Europa", disse o presidente-executivo da companhia, Bruno Lafont, a repórteres.

(Por Natalie Huet e Gilles Guillaume)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASLAFARGERESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.