LAN e TAM continuam operando com marcas atuais

Após a operação de fechamento de capital da TAM, encerrada na manhã desta sexta-feira, a companhia aérea conclui a união com a chilena Lan, dando origem à Latam Airlines. As empresas informam que continuarão operando com suas marcas atuais. "O cliente continua voando com LAN ou TAM como faz até hoje", explica um comunicado conjunto.

AE, Agencia Estado

22 de junho de 2012 | 10h51

De acordo com esse documento, na oferta pública de permuta de ações (OPA), 99,9% dos acionistas da TAM que participaram do processo concordaram com o cancelamento do registro de companhia aberta. Essas ações, somadas às dos acionistas controladores da TAM, representam 95,9% do total.

A previsão de sinergias é de US$ 170 milhões a US$ 200 milhões para os primeiros 12 meses da união, chegando a US$ 600 milhões a US$ 700 milhões no quarto ano, após concluída a associação.

A Latam calcula que os custos no âmbito da operação de cerca de US$ 170 milhões a US$ 200 milhões, sendo a maior parte no primeiro ano da união. "Aproximadamente 60% do total de sinergias potenciais devem vir dos incrementos de receita nos negócios de passageiros e de cargas, fruto da associação, e as reduções de custo gerariam os 40% restantes", explica o comunicado.

A Latam Airlines soma aproximadamente 51 mil funcionários, 150 destinos em 22 países e transporte de cargas para 169 destinos em 27 países. Paulatinamente, a companhia oferecerá "uma maior conectividade, melhores itinerários e frequências" e diminuição no tempo de conexão.

"As duas empresas reafirmam sua liderança na região e, com a união, fortalecem seu potencial competitivo globalmente, em uma indústria marcada pela tendência de os operadores unirem forças por meio da consolidação de suas empresas e operações", diz a nota.

Tudo o que sabemos sobre:
OPATAMLANmarcas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.