Leilão da antiga OGX rende R$ 210 milhões

Empresa se desfez de participação de 36,36% em unidade do Maranhão; lance foi feito pela Cambuhy, de Pedro Moreira Salles

Mariana Sallowicz, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2014 | 02h03

RIO - A empresa de investimentos Cambuhy, de Pedro Moreira Salles, arrematou ontem a participação de 36,36% que a OGX, petroleira de Eike Batista, detinha na empresa Parnaíba Gás Natural, dona de blocos no Maranhão. O pagamento, de R$ 210 milhões, só será feito após o cumprimento de algumas condições, com os devidos reajustes.

Foi estipulado um prazo, até outubro de 2015, para que esses pré-requisitos sejam executados. O principal deles determina a conclusão do negócio apenas após a homologação definitiva do plano de recuperação judicial da petroleira. Caso isso não ocorra até a data limite, a Cambuhy pode desistir da participação.

A empresa de investimentos não compareceu à primeira convocação para o leilão no fim de julho. Isso porque, segundo o Estado apurou, ela estava tentando se proteger de uma eventual reviravolta no processo de recuperação judicial da petroleira, rebatizada como Óleo e Gás Participações (OGPar). "Acreditamos que será possível atender às condições estabelecidas dentro do prazo determinado", afirmou o advogado Marcelo Carpenter, do Escritório de Advocacia Sergio Bermudes, que representa a OGX em seu processo de recuperação judicial.

O pregão, em segunda chamada, foi realizado ontem no Tribunal de Justiça do Rio e não teve outros interessados.

Também são condições preliminares a aprovação da operação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e pelo Conselho Administrativo de Direito Econômico (Cade).

Lance mínimo. Um acordo entre os grupos já previa que a Cambuhy desse o lance mínimo de R$ 200 milhões. O valor deverá ser pago em uma única parcela, ajustada de acordo com a variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) a partir de outubro de 2013 até a data do efetivo pagamento.

No leilão de ontem, o valor subiu para R$ 210,6 milhões, mas o número definitivo só será fechado quando as condições forem atendidas. Com essa aquisição, a empresa passará a ser a principal acionista da Parnaíba, com mais de 70% das ações. A Cambuhy é uma empresa de investimento criada em 2011 por Pedro Moreira Salles, Pedro Bodin, Marcelo Barbará e Marcelo Medeiros.

O leilão é uma segunda etapa da operação aprovada pelos acionistas em novembro de 2013, como parte da reestruturação da petroleira de Eike Batista. Em fevereiro a OGPar informou que a Cambuhy Investimentos e a E.ON concluíram o aporte de R$ 250 milhões na Parnaíba Gás Natural.

Cambuhy e E.ON subscreveram novas ações da Parnaíba Gás Natural com um aporte respectivo de R$ 200 milhões e R$ 50 milhões. Como resultado, a OGX passou a deter 36,36% da empresa, a Cambuhy 36,37%, Eneva 18,18% e E.ON 9,09%. Ficou acertado que a OGX faria um leilão para vender sua participação remanescente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.