Leilão da Cesp fracassa por falta de interessados

O leilão de privatização da elétricaestatal paulista Cesp, negócio que poderia alcançar valorsuperior a 20 bilhões de reais, foi cancelado nesta terça-feiradevido à ausência de interessados. A CBLC (Câmara Brasileira de Liquidação e Custódia)informou que nenhuma das cinco empresas pré-identificadas parao leilão depositou as garantias exigidas dentro do prazoespecificado, que terminou ao meio-dia. As empresas pré-qualificadas eram: CPFL Energia ;Neoenergia, que tem a espanhola Iberdrola como sócia ; Energiasdo Brasil, ligada à portuguesa EDP ; Tractebel Energia, que fazparte da francesa Suez Energy International ; e a AlcoaAlumínio. O governador paulista, José Serra (PSDB), confirmou ocancelamento da operação pouco depois da nota distribuída pelaCBLC e citou a crise financeira internacional como um dosfatores para o fracasso da operação. Segundo ele, empresas que participariam da privatização daCesp relataram que tiveram dificuldade em conseguirfinanciamento no mercado para apresentar lances. Serra afirmou também que o governo não estava disposto areduzir o valor mínimo estipulado inicialmente para a venda dafatia de controle, de aproximadamente 6,6 bilhões de reais. "O pessoal queria um valor menor, mas nós não vendemos nabacia das almas", afirmou Serra a jornalistas no Palácio dosBandeirantes, sede do governo paulista. As ações da Cesp despencavam quase 16 por cento às 13h36,enquanto o Ibovespa registrava alta de 2,25 por cento no mesmohorário. Na segunda-feira as ações da Cesp já haviam sofrido fortesquedas, com o mercado antevendo dificuldades para que qualquerconsórcio participasse do leilão. No total, o comprador teria que desembolsar um valor totalsuperior a 20 bilhões de reais, considerando a oferta quedeveria ser feita a minoritários mais as dívidas da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.