Leilão de cafés especiais do Brasil registra preço recorde

Comprador pagou mais de US$ 66 mil por lote de 20 sacas de 60 kg de café produzido no sul de Minas Gerais

Reuters

18 de janeiro de 2011 | 19h23

O preço médio de 31 lotes de cafés especiais do Brasil leiloados nesta terça-feira atingiu o recorde de US$ 8,32 por libra-peso, informou a BSCA, a associação que representa os produtores de grãos premium do País. A maior oferta, de US$ 25,05 por libra-peso (453,6 gramas), foi feita pelo café orgânico, 100% arábica, da variedade Bourbon Amarelo, que venceu o concurso promovido pela BSCA em 2010.

O comprador pagou mais de US$ 66 mil pelo lote de 20 sacas de 60 kg café, produzido no sítio Grota São Pedro, em Carmo de Minas, no sul de Minas Gerais. Além do lote da Grota São Pedro, o leilão promovido pela organização Cup of Excellence comercializou outros 30 lotes de cafés especiais do Brasil.

A oferta de US$ 25,05 superou a maior marca para cafés do Brasil do leilão anterior, que era de US$ 24,05 por libra-peso. No leilão do ano anterior, o preço médio registrado foi de US$ 7,32 por libra-peso.

O melhor preço registrado no leilão, para o café de Grota São Pedro, representa um ágio de quase 1.000% em relação ao primeiro contrato do café arábica negociado na bolsa de Nova York. Em relação ao preço inicial do leilão, o ágio para a oferta do café de Grota São Pedro foi de mais de 600%.

Segundo a BSCA, mais de 200 torrefadoras internacionais fizeram ofertas no leilão pelos cafés especiais, além de empresas nacionais, em maior número este ano. "É importante não só pelo prêmio em dinheiro, mas pelo reconhecimento internacional", disse à Reuters Luiz Paulo Dias Pereira Filho, presidente da BSCA.

(Reportagem de Roberto Samora)

Tudo o que sabemos sobre:
Caféleilãocommodityagronegócio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.