Leilão de linhas de transmissão tem 20 candidatos

Um total de 20 proponentes - nove empresas e 11 consórcios - se candidataram para concorrer aos dez lotes de linhas de transmissão do primeiro leilão de 2013, que ocorrerá nesta sexta-feira, 10, na sede da BM&FBovespa, a partir das 10 horas. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), as nove empresas participantes são: Abengoa, Alupar, Cobra, Copel, Cymi, Elecnor, Isolux, Neoenergia e Aliança.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

09 de maio de 2013 | 18h49

Os 11 consórcios concorrentes são: Airumã (Caixa Milão e Furnas), Boi-Bumbá (Eletrosul, Copel e Elecnor), Camanducaia (Caixa Milão, Copel e Furnas), Campina Grande (Eletronorte e Alupar), Cantareira (Caixa Milão, Copel e Furnas), Carioca (Aliança e Furnas), Gilbués (Engeglobal e Bimetal), Itacaiunas (Eletronorte e Aliança), Miracema (Eletronorte, Alupar e Aliança), Sobral (Eletronorte e Alupar) e Vale do São Patrício (Caixa Milão, Celg e Furnas).

De acordo com a Aneel, as novas instalações demandarão investimentos de, aproximadamente, R$ 5,3 bilhões, com geração de 18.356 empregos diretos. O prazo de conclusão das obras será de 22 a 36 meses e os contratos de concessão são de 30 anos. Os lotes ofertados totalizam 5.017 quilômetros de extensão e subestações com 1.200 megavoltampères (MVA) de potência. Serão 17 linhas de transmissão e quatro subestações localizadas em 11 Estados - os lotes H e I correspondem ao início do escoamento da energia produzida pela Usina de Belo Monte.

A Receita Anual Permitida de referência (RAP) máxima a ser paga aos empreendedores, determinada no edital, é de R$ 586 milhões. Não poderão participar da disputa empresas que tenham recebido três ou mais penalidades por atraso na execução de obras de transmissão nos últimos três anos, transitadas em julgado na esfera administrativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.