Light é a principal compradora de energia em leilão

O 14º Leilão de Ajuste, realizado nesta quinta-feira (27), negociou 141,248 mil megawatts-hora (MWh), movimentando R$ 18,789 milhões, a um preço médio de R$ 133,03 por Mwh. O deságio médio foi de 17,85% em relação aos valores de referência estabelecidos, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), responsável pelo certame.

LUCIANA COLLET, Agencia Estado

27 de setembro de 2012 | 17h29

Foram negociados neste leilão contratos de três meses para atendimento aos submercados Nordeste e Sudeste. Os preços de venda médios foram de R$ 139,13 por MWh e R$ 130,73 por MWh, respectivamente. Apenas duas distribuidoras compraram energia no certame: a Light, com 102,625 mil MWh, e a Energisa Paraíba, com 38,622 mil Mwh.

A energia foi vendida por quatro comercializadoras: Brasil Comercializadora, BTG Pactual, MPX Comercializadora e NGER (Nova Geração de Energia). A BTG foi a principal vendedora, comercializando 34 dos 35 lotes no produto Nordeste, com preço médio de 139,13/MWh, e 72 dos 93 lotes comercializados no produto Sudeste, com preço de 130,32/Mwh.

Por meio de nota, o gerente de Leilões e Mercado Regulado da CCEE, Alexandre Viana, considerou o evento bem sucedido e afirmou que essa pequena participação é normal, uma vez que as demais concessionárias já possuem contratos suficientes para atender à demanda de seus mercados.

O leilão de ajuste tem por objetivo complementar a carga de energia necessária ao atendimento do mercado consumidor das distribuidoras até o limite de 1% dessa carga. Pelas regras do setor, as concessionárias de distribuição devem contratar a totalidade da demanda de seu mercado consumidor por meio de leilões de energia realizados no chamado Ambiente de Contratação Regulada (ACR), promovidos pela Aneel, por intermédio da CCEE.

Tudo o que sabemos sobre:
leilãoenergiaCCEE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.