Lobão diz que governo vai cortar encargos da energia

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta quinta-feira que o governo vai eliminar os encargos setoriais das tarifas de energia elétrica e reafirmou que a redução total da tarifa será de cerca de 10 por cento, ou um pouco mais que isso.

Reuters

26 de julho de 2012 | 13h16

"Estamos suprimindo os encargos setoriais todos", disse o ministro para em seguida nomear alguns dos principais encargos que deverão ser extintos. "Nós vamos cancelar CCC (Conta de Consumo de Combustíveis), CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), RGR (Reserva Global de Reversão) e provavelmente mexeremos também no Proinfa", disse Lobão a jornalistas, após participar de apresentação do balanço do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2).

Segundo ele, o Luz para Todos assim como os demais programas financiados por encargos setoriais serão custeados pelo Tesouro. Lobão disse que "muito provavelmente" a presidente Dilma Rousseff fará o anúncio dessas medidas na reunião com os principais empresários do país, no dia 7 de agosto.

O governo trabalha, juntamente com a eliminação dos encargos, no processo de renovação das concessões elétricas que vencem a partir de 2015.

O ministro afirmou que ainda não está fechado qual será o prazo da prorrogação, mas "em princípio" será por 20 anos.

Lobão calcula que a redução total nas tarifas de energia deverá ser de 10 por cento ou um pouco mais.

A redução vai priorizar os grandes consumidores comerciais e industriais, segundo Lobão, atendendo assim à reivindicação do setor empresarial brasileiro.

(Por Leonardo Goy)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIATARIFASLOBAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.