Vinicius Consoline/ Divulgação
Vinicius Consoline/ Divulgação

Lojas Americanas amplia compra de bicicletas e tuc-tucs elétricos para garantir entregas ‘limpas’

Ao todo, 500 veículos serão usados para a operação de delivery da varejista, que pretende neutralizar suas emissões de carbono até 2025

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2021 | 16h01

A Lojas Americanas inicia neste mês uma operação com automóveis elétricos. A companhia prevê encerrar o ano com uma frota denominada "ecoeficiente" de mais de 500 veículos. Além dos automóveis, a frota também é composta por 150 tuc-tucs e 170 bicicletas comuns e elétricas que atuam na última etapa da logística de entrega de produtos. A iniciativa faz parte das metas de ter 10% do total de entregas com esse tipo de veículo em 2021 e de neutralizar as emissões de carbono de toda a companhia até 2025.

A iniciativa segue movimento semelhante observado em outras empresas de varejo, que viram as entregas crescerem com o avanço do comércio eletrônico durante a pandemia de covid-19. O concorrente Mercado Livre já tem cerca de 50 carros elétricos em sua frota.

A nova frota de carros elétricos da Americanas é especializada no transporte de carga e deve circular, inicialmente, com 80 utilitários nas áreas metropolitanas de São Paulo, em Campinas e Ribeirão Preto, além da cidade do Rio de Janeiro. 

Até dezembro, chegarão outros 100 automóveis, para expandir a operação da frota elétrica para Belo Horizonte, Curitiba, Recife e Porto Alegre. A chegada da nova frota de automóveis elétricos irá gerar, segundo a Americanas, cerca de 200 oportunidades diretas e indiretas de emprego, o que inclui uma equipe dedicada a gerir toda a frota.

Segundo a companhia, os testes realizados mostram que cada veículo deste tipo possui autonomia de 200 km a 250 km com uma carga completa de bateria, o suficiente para um dia e meio de operação. 

Economia de combustível

"Além dos ganhos ao meio ambiente, os veículos elétricos têm um custo menor de operação. Os gastos com 'combustível' chegam a uma redução de 90%, dependendo da faixa de horário do carregamento", comenta Welington Souza, diretor da LET'S, braço logístico da Americanas.

Os investimentos na iniciativa incluem a compra de veículos, locação de carregadores e carros elétricos, software de gestão, equipes de motoristas e gestão da frota, e adequação da infraestrutura. A companhia realiza adaptações em 21 centros de logística de 'última milha' nas cidades previstas. Dentre as mudanças, está o cabeamento de média tensão de energia nos centros de distribuição e a implementação da tecnologia para gestão da frota.

Em 2020, a companhia chegou a 1,8 milhão de entregas com bicicletas e adquiriu uma malha própria de bikes elétricas. Neste ano, a companhia também anunciou o início da operação com 90 tuk-tuks elétricos nas principais capitais das regiões Sul, Sudeste e Nordeste, e com caminhões movidos a biometano e gás natural, com capacidade para transportar até 23 toneladas de carga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.