Louis Dreyfus no Brasil dobrará exportação de açúcar em 2008

A atual safra de cana-de-açúcar doBrasil deve ser de "recuperação de exportações" para asubsidiária local do grupo de commodities francês LouisDreyfus, que pretende quase dobrar seus embarques de açúcarapós uma queda nas vendas externas no ano passado. As exportações de açúcar devem atingir cerca de 1,5 milhãode toneladas na temporada 2008/09, contra menos de 800 miltoneladas na safra passada, quando o foco da empresa eradesenvolver usinas de açúcar e álcool que havia comprado. Os dados incluem açúcar das usinas do próprio grupo e deoutros clientes no Brasil. "Estamos de volta ao mercado de exportações, reativando ascompras (de açúcar) depois de tê-las reduzido um pouco", disseCarlos Franco, trader da unidade local Louis DreyfusCommodities Bioenergia (LDC). "As condições de mercado não eram muito amigáveis (no anopassado), as margens estavam reduzidas e por isso optamos porinvestir na maturação das usinas", disse ele. O grupo dobrou sua capacidade de moagem de cana no Brasilem fevereiro de 2007, quando comprou quatro usinas do grupoTavares de Melo, tornando-se uma das maiores empresas de açúcare álcool no país. Exportadores brasileiros tiveram problemas na temporadapassada com os baixos preços internacionais do açúcar, com avalorização do real frente ao dólar e com a dura competição daÍndia, que ampliou sua produção de açúcar em resposta aos altospreços em 2006. Depois de atingir um pico de 25 anos a quase 20 centavos dedólar por libra-peso nos primeiros meses de 2006, os preços doaçúcar caíram para cerca de 10 centavos, aproximadamente opatamar em que está agora. O contrato julho fechou nestaquinta-feira a 9,56 centavos de dólar por libra-peso em NovaYork. Franco disse que as exportações brasileiras de açúcar emgeral devem aumentar neste ano, beneficiando-se de um esperadodeclínio na produção indiana na próxima temporada, que começaem outubro. A previsão dele está em linha com outros analistas eprodutores. O centro-sul do Brasil deve exportar 18,9 milhões detoneladas de açúcar na safra atual, 15 por cento a mais do queem 2007/08, que caiu 3 por cento em relação à temporadaanterior, de acordo com a União da Indústria de Cana-de-Açúcar. A maior parte das exportações de açúcar esperadas para atemporada foi fixada no mercado futuro a preços maiores que osatuais, disse Franco. Os futuros do açúcar alcançaram quase 15centavos em março. MUDANÇA DE PLANOS O LDC tem atualmente oito usinas de açúcar e etanol emoperação. O grupo deu entrada em setembro com pedido de abertura decapital na Bolsa de Valores de São Paulo, mas o cancelou emjaneiro, dizendo que as condições de mercado não eramfavoráveis no momento. Ele disse, entretanto, que pode retomar a ação se ascondições melhorarem. Os recursos obtidos com a oferta pública seriam usados paraexpandir as usinas do grupo, construir outras ou compraralgumas existentes, disse a empresa. Franco explicou que a estimativa da empresa para a moagemdo centro-sul nesta temporada está próxima da projeção daUnica, de cerca de 500 milhões de toneladas, com a maior partesendo direcionada para a produção de álcool.

INAÊ RIVERAS, REUTERS

05 de junho de 2008 | 16h10

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSACUCAREXPORTACAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.