Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Lucro da BHP Billiton sobe 116,5% no ano fiscal de 2010

A mineradora BHP Billiton anunciou hoje um lucro líquido de US$ 12,72 bilhões no ano fiscal 2010, encerrado em 30 de junho, o que marca uma alta de 116,5% em relação os US$ 5,88 bilhões obtidos no ano anterior. A companhia anglo-australiana atribui o resultado ao aumento dos preços de commodities (matérias-primas) e à forte demanda global por matérias-primas para a fabricação de aço. Além disso, no ano encerrado em 30 de junho de 2009, os resultados foram afetados pelo colapso no preço das commodities em função da crise financeira global.

LIGIA SANCHEZ, Agencia Estado

25 de agosto de 2010 | 11h10

Excluindo itens extraordinários, o lucro da BHP aumentou 16,3% no ano fiscal 2010, para US$ 12,47 bilhões, ante os US$ 10,72 bilhões do ano fiscal anterior. O resultado ficou levemente baixo das estimativas dos analistas, que esperavam um lucro subjacente de US$ 12,6 bilhões. A receita líquida da BHP Billiton subiu 5,2% no período, para US$ 52,80 bilhões, ante os US$ 50,21 bilhões do ano fiscal anterior.

Vendas recordes

A companhia informou ainda que atingiu volumes de vendas recordes em minério de ferro e carvão metalúrgico, usados na fabricação de aço, além de petróleo. A BHP alertou que o crescimento econômico da China, que puxou a demanda recente de matérias-primas para produção de aço, deve desacelerar para "níveis mais sustentáveis". Na Europa, o quadro será especialmente difícil, já que "o impacto negativo inevitável da consolidação fiscal sobre o crescimento continuará".

Atualmente, a BHP Billiton tenta comprar a fabricante de fertilizantes canadense Potash Corp, que em 17 de julho recusou a proposta de US$ 38,6 bilhões da mineradora. A BHP partiu para uma oferta hostil feita diretamente aos acionistas da Potash, que tenta agora negociar com outras companhias para evitar o negócio. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.