Lucro da BRF sobe 28% no 2º trimestre e soma R$ 267 milhões

Segundo a empresa de alimentos, o resultado reflete melhor desempenho nos mercados internacionais, novas estratégias no mercado interno e melhoria operacional das subsidiárias

Suzana Inhesta, O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2014 | 18h54

A empresa de alimentos BRF registrou um lucro líquido de R$ 267 milhões no segundo trimestre, avanço de 28% ante o montante de R$ 208 milhões reportados no mesmo período do ano passado. 

"Esta melhoria poderia ter sido superior não fosse o desembolso registrado na rubrica 'despesas financeiras' referente ao prêmio pago pela execução na recompra dos bonds", explicou a companhia, em release de resultados divulgados há pouco ao mercado.

A alimentícia ainda explicou que tal resultado também reflete "o melhor desempenho nos mercados internacionais em que a companhia atua, as diversas estratégias implementadas no mercado interno que já começam a mostrar resultados iniciais animadores, e a melhoria operacional das subsidiárias". 

Já a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de abril a junho ficou em R$ 1,002 bilhão, avanço de 25% ante o valor de R$ 801 milhões do mesmo período de 2013. A margem Ebitda foi de 13% frente a de 10,6% do segundo trimestre do ano passado, alta de 2,4 pontos porcentuais.

A receita líquida da BRF avançou 2%, passando de R$ 7,525 bilhões para R$ 7,691 bilhões, sendo R$ 4,340 bilhões gerados em vendas no Brasil (considerando mercado interno, food service e lácteos) e R$ 3,350 bilhões no mercado internacional (que inclui vendas nos mercados internos dos países nos quais possui operação, food service e lácteos internacional).

"A estratégia de priorizar mercados e itens de maior rentabilidade, assim como um bom desempenho de industrializados e aves in natura no mercado interno contribuiu para o avanço da receita líquida consolidada", declarou a companhia, em release à imprensa.

Tudo o que sabemos sobre:
BRF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.