Luc Gnago/Reuters
Luc Gnago/Reuters

Lucro da Cargill despenca quase 20% no Brasil em 2017

Queda do lucro de uma das maiores empresas do país ocorreu em meio a uma safra recorde de grãos no Brasil no ano passado

Reuters

18 Abril 2018 | 12h29

 O lucro líquido consolidado da Cargill Agrícola, subsidiária da multinacional norte-americana no Brasil, caiu 19,6% em 2017 na comparação com o ano anterior, para R$ 538,3 milhões, informou a empresa nesta quarta-feira.

+ ‘Eleição não muda planos da Cargill’, diz presidente da empresa no País

A queda do lucro de uma das maiores empresas do país ocorreu em meio a uma safra recorde de grãos no Brasil no ano passado, que colaborou para pressionar os preços das commodities agrícolas, e de um aumento dos custos dos produtos vendidos.

Safra deste ano será de 229,3 milhões de toneladas, queda de 4,7% ante 2017

O setor também registrou em 2017 um fortalecimento de novos participantes no mercado exportador de soja e milho, o que aumentou a competição entre as tradings, reduzindo as margens.

A receita operacional líquida da Cargill Agrícola subiu cerca de 6% em 2017, para R$ 34,2 bilhões, enquanto o custo dos produtos vendidos e dos serviços prestados subiu quase 9%, para R$ 33,37 bilhões.

Safra de soja deve se aproximar do recorde do último ano, prevê Rabobank

Dessa forma, o lucro bruto caiu praticamente pela metade, para R$ 863,8 milhões.

A Cargill, uma das maiores exportadoras do Brasil, informou que o volume de vendas no mercado externo somou no ano passado 82% do total, ante 75% do total em 2016.

A empresa terminou o ano passado na segunda colocação nas exportações de soja, milho e farelo de soja do Brasil, atrás da Bunge, segundo dados da agência marítima Williams, com 12 milhões de toneladas, alta de 39%.

No Brasil desde 1965 e com mais de 8 mil funcionários, a Cargill está presente em 17 Estados brasileiros e no Distrito Federal por meio de unidades industriais, armazéns, terminais portuários e escritórios em 143 municípios.

Mais conteúdo sobre:
agriculturaCargill

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.