Márcio Fernandes/ Estadão
Márcio Fernandes/ Estadão

Lucro da Cetip sobe mais de 15% no semestre e supera os R$ 275 milhões

Central depositária, que aguarda aval para fusão com a BM&FBovespa, diz que unidade de financiamentos 'parou de piorar'

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2016 | 19h45

A Cetip, que aguarda aval dos reguladores para se unir com a BM&FBovespa, apresentou um lucro líquido de R$ 140,3 milhões no segundo trimestre deste ano, crescimento de 18,2% em relação ao observado no mesmo período do ano passado. Em relação aos três primeiros meses do ano houve um aumento de 3,7%. De janeiro a junho o lucro da depositária foi a R$ 275,5 milhões, alta de 15,1%.

"De modo geral continuamos entregando resultados atraentes mesmo neste ambiente econômico bastante adverso", destaca o diretor Executivo Financeiro, Corporativo e de Relações com Investidores da Cetip, Willy Jordan, em entrevista ao Broadcast, notícias em tempo real do Grupo Estado. Segundo o executivo, houve no primeiro semestre melhora nos preços do mercado, como o visto em bolsa, mas isso ainda não vem sendo identificado na economia.

O lucro líquido ajustado, que considera benefícios fiscais, amortização de intangível e incentivo baseado em ações, ficou em R$ 156,4 milhões no intervalo, alta de 4% na relação anual e de 2,7% na trimestral. No semestre esta linha ficou em R$ 308,8 milhões, expansão de 1,9%.

Jordan aponta que a unidade de títulos e valores mobiliários da companhia segue mostrando resiliência, mas que a boa notícia vem da unidade de financiamentos, que segundo ele, "parou de piorar".

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da Cetip no intervalo de abril a junho chegou em R$ 223,7 milhões, expansão de 17,2%. Ante os três primeiros três meses do ano houve uma variação positiva de 0,5%. No primeiro semestre do ano o Ebitda ajustado ficou em R$ 446,3 milhões, aumento de 16,9%.

A receita líquida, por sua vez, somou R$ 318,2 milhões de abril a junho deste ano, alta de 16,3% em relação ao visto no mesmo intervalo de 2015. Ante o trimestre anterior a expansão foi de 2,3%. De janeiro a junho a receita chegou em R$ 629,3 milhões, aumento de 16,5%.

A fusão entre Cetip e BM&FBovespa foi aprovada pelos Conselhos de Administração de ambas empresas em abril. O aval dos acionistas, em assembleias, ocorreu em maio.

Tudo o que sabemos sobre:
Broadcast

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.