Lucro da espanhola Telefónica sobe 16% no 2º trimestre

A Telefónica, a segunda maior operadora de telecomunicações em capitalização de mercado da Europa, informou que seu lucro líquido cresceu 16% no segundo trimestre, impulsionado pelo aumento da receita de seus negócios na América Latina, que compensou o enfraquecimento do mercado espanhol. O lucro líquido da companhia aumentou para 2,12 bilhões de euros (US$ 2,77 bilhões), acima das previsões dos analistas, de 1,92 bilhão de euros.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

29 de julho de 2010 | 09h07

Segundo o analista da ING Georgios Ierodiaconou, os lucros da companhia são sólidos, especialmente na América Latina e na Europa. Para ele, o crescimento orgânico da Telefónica na América Latina é forte e seu desempenho no Brasil e na Colômbia é especialmente encorajador. Ontem, a Telefónica anunciou que fechou acordo para comprar a participação da Portugal Telecom na brasileira Vivo, por 7,5 bilhões de euros. A empresa espanhola tem planos de fundir a Vivo com sua unidade de telefonia fixa Telesp no Brasil.

A companhia também reiterou suas metas para um lucro por ação de 2,10 euros em 2010 e uma taxa composta de crescimento anual (CAGR, na sigla em inglês) da receita entre 1% e 4% até 2012. A Telefónica prevê pagar dividendo de pelo menos 1,75 euro por ação em 2012. Já o lucro operacional da companhia, antes da depreciação e da amortização, subiu 4%, para 5,79 bilhões de euros no segundo trimestre, enquanto a receita total aumentou 9%, para 15,12 bilhões de euros.

A receita da empresa na América Latina cresceu 16% no segundo trimestre, para 6,44 bilhões de euros no período, graças ao aumento de assinantes e a uma receita maior, impulsionada pelo enfraquecimento do euro em relação às principais moedas da região. A receita da companhia caiu 3,2% na Espanha, para 4,69 bilhões de euros e aumentou 14% na Europa, para 3,79 bilhões de euros. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.