Lucro da Exxon aumenta 3% no trimestre com melhores margens em refino

Lucro da Exxon aumenta 3% no trimestre com melhores margens em refino

A integração das divisões de exploração e produção, refino e produtos químicos proporciona uma vantagem competitiva à companhia

REUTERS

31 de outubro de 2014 | 13h08

A Exxon Mobil, maior empresa de petróleo do mundo listada em bolsa, relatou nesta sexta-feira um aumento maior que o esperado de 3 por cento no lucro trimestral devido a melhores resultados em suas unidades de refino e produtos químicos.

"Os resultados trimestrais da Exxon Mobil demonstraram a força do nosso modelo de negócio integrado", afirmou o presidente-executivo da companhia, Rex Tillerson, em comunicado.

A integração das divisões de exploração e produção, refino e produtos químicos proporciona uma vantagem competitiva, apesar das flutuações do mercado, acrescentou Tillerson.

O lucro da Exxon no terceiro trimestre subiu a 8,07 bilhões de dólares, ou 1,89 dólar por ação, ante 7,870 bilhões de dólares, ou 1,79 dólar por ação, em igualt etapa do ano passado.

Analistas em média esperavam um lucro de 1,71 dólar por ação, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A produção de petróleo e gás caiu 4,7 por cento, disse a empresa com sede em Irving, Texas, que também ressaltou que continua no bom caminho para atingir uma produção anual de 4 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boepd).

O lucro em seu negócio de refino subiu para 1,024 bilhão de dólares, ante 592 milhões no mesmo período do ano passado. A unidade química da Exxon obteve um lucro de 1,2 bilhão de dólares, alta de 17 por cento em relação ao ano anterior.

Os ganhos da unidade de exploração e produção da Exxon caíram 4,4 por cento, para 6,4 bilhão de dólares, por preços mais baixos do petróleo.

(Reportagem de Anna Driver)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAEXXONRESULTADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.