Lucro da Intel cresce 17% no 3º trimestre e chega a US$ 3,47 bilhões

Receita da companhia, que produz os processadores de aproximadamente 80% dos computadores do mundo, aumentou 28%, para US$ 14,2 bilhões no período

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

18 de outubro de 2011 | 19h00

O lucro da Intel aumentou 17% no terceiro trimestre do ano, acima do esperado pelos analistas, beneficiado pelo aumento das vendas de chips para notebooks. No after-hours, as ações da Intel subiam 4,53% por volta das 18h40, a US$ 24,46, impulsionadas pela projeção de receita de US$ 14,2 bilhões a US$ 15,2 bilhões, com margem de lucro entre 63% e 67%. A estimativa média de analistas ouvidos pela Thomson Reuters é de US$ 14,24 bilhões para a receita e 64,5% para a margem.

No último trimestre, o lucro da Intel foi de US$ 3,47 bilhões, ou US$ 0,65 por ação, de US$ 2,96 bilhões, ou US$ 0,52 por ação, no terceiro trimestre do ano anterior. A receita aumentou 28%, para US$ 14,2 bilhões, dentro da projeção de receita de US$ 13,5 bilhões a US$ 14,5 bilhões divulgada em julho. Já a margem caiu de 65,9% para 63,4%, mas dentro da previsão de 62% a 66%.

Paul Otellini, executivo-chefe da Intel, afirmou que o aumento do lucro foi impulsionado principalmente pelo crescimento de dois dígitos na unidade de processadores para notebooks, assim como pelo fortalecimento do negócio de data center da empresa, beneficiado pelo aumento da demanda por serviços de computação em nuvem.

A Intel, que produz os processadores de aproximadamente 80% dos computadores do mundo, continuou a registrar aumento de receita ao longo do último ano graças ao crescimento do mercado e às vendas robustas nos países emergentes. No pregão regular, as ações da Intel fecharam em alta de 0,52%, a US$ 23,40.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.