Lucro da Potash cai 33% com fraca demanda

O lucro da companhia canadense de fertilizantes Potash Corp of Saskatchewan caiu 33% no primeiro trimestre, na comparação com resultados recorde no mesmo período do ano passado, prejudicados por uma contínua queda nas vendas de potássio e nos volumes de produção. Com isso, a companhia reduziu sua perspectiva de lucro no ano. A maior produtora mundial de potássio lucrou US$ 491 milhões no primeiro trimestre, ou 56 cents por ação, menos do que os US$ 732 milhões, ou 84 cents por ação, obtidos um ano antes. A Potash previa de 55 a 75 cents por ação.

FILIPE DOMINGUES, Agencia Estado

26 de abril de 2012 | 12h29

A receita com vendas totalizou US$ 1,75 bilhão e também ficou abaixo das expectativas dos analistas, que previam cerca de US$ 1,78 bilhão. Um ano antes, as vendas totalizaram US$ 2,20 bilhões. Com uma fraca demanda por fertilizantes durante boa parte do primeiro trimestre, a Potash disse que reduziu sua expectativa de lucro no ano para US$ 3,20 a US$ 3,60 por ação. Antes, esperava US$ 3,40 a US$ 4,0 por ação.

A Potash afirmou que no fim do trimestre o mercado de potássio se fortaleceu e ela espera uma demanda constante ao longo de 2012. Para o segundo trimestre, a companhia prevê lucro de 90 cents a US$ 1,10 por ação, ante 96 cents por ação um ano antes.

Os resultados da Potash também ficaram abaixo do esperado no trimestre anterior, por causa do enfraquecimento da demanda, em meio a preocupações com a economia global. A empresa havia previsto queda da demanda nos três primeiros meses de 2012, e depois uma recuperação no segundo trimestre.

As margens brutas para o trimestre caíram para US$ 698 milhões, ante US$ 1,10 bilhão um ano antes. A margem bruta do segmento de potássio correspondeu a US$ 327 milhões, ante US$ 743 milhões no mesmo momento do ano anterior. O volume de venda de potássio somou 1,2 milhões de toneladas, menos da metade do recorde de 2,8 milhões de toneladas registrado um ano atrás. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Potashbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.