Lucro da Repsol cai 45% com pressão dos preços

O lucro líquido da petroleira espanhola Repsol - excluindo a unidade argentina recém-nacionalizada - recuou 45% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, uma vez que a produção na Líbia e em outros locais não conseguiu compensar o efeito dos preços mais baixos de petróleo e gás.

RENAN CARREIRA, Agencia Estado

26 de julho de 2012 | 08h19

Os preços mais baixos pesaram sobre o valor dos estoques que a companhia detém, o que, por sua vez, pressionou o lucro líquido. Excluindo as operações descontinuadas da nacionalizada unidade YPF, o lucro líquido caiu, em bases anuais, para 274 milhões de euros (US$ 332 milhões) nos três meses encerrados em 30 de junho.

Incluindo as operações da YPF, o lucro líquido recuou 58%, para 244 milhões de euros. As receitas da Repsol ficaram em 14,02 bilhões de euros no segundo trimestre, comparadas com 13,1 bilhões de euros há um ano.

A Repsol informou que a produção de petróleo e gás no segundo trimestre aumentou 8%, para 320 mil barris de petróleo equivalente por dia, impulsionada pela restauração da produção na Líbia e uma produção maior na Bolívia.

As operações reiniciaram na Líbia no fim do ano passado, após ficarem interrompidas em 2011 durante a guerra civil no país. As operações retornaram para os níveis observados antes da guerra e agora estão em 47 mil barris de petróleo equivalente por dia, informou a Repsol.

O lucro líquido ajustado por custo de substituição aumentou 27%, para 481 milhões de euros, de 380 milhões de euros um ano atrás, excluindo a YPF.

Na Bolsa de Madri, a ação da Repsol subia, às 7h57, 1,23%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Repsolbalançosegundo trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.