Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Lucro da Sabesp tem alta de 146% e chega a R$ 1,5 bi

A empresa informou que planeja investir, de 2019 a 2023, cerca de R$ 7,7 bilhões em água e R$ 11 bilhões em coleta e tratamento de esgoto

Letícia Fucuchima, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2019 | 10h06

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apurou lucro líquido de R$ 1,507 bilhão no último trimestre de 2018, cifra 146,1% maior que os R$ 612,6 milhões anotados em igual período do ano anterior. Com isso, a estatal acumulou lucro líquido de R$ 2,835 bilhões em 2018, o que representa um aumento de 12,5% em relação a 2017.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no critério ajustado foi de R$ 2,324 bilhões entre outubro e dezembro de 2018, configurando alta de 66,7% na base anual. No trimestre, a margem Ebitda ajustada alcançou 47,4%, ante 34,7% um ano antes.

No acumulado de 2018, o Ebitda ajustado da Sabesp somou R$ 6,540 bilhões, 24,1% maior que em 2017, enquanto a margem atingiu 40,7%, alta de 3,6 pontos percentuais.

A receita líquida, considerando a receita de construção, foi de R$ 4,902 bilhões no quarto trimestre, 22,0% acima do mesmo intervalo de 2017. No acumulado de 2018, a linha somou R$ 16,085 bilhões, alta anual de 10,1%.

A receita de construção diminuiu 18,3% no quarto trimestre em relação a igual período de 2017, para R$ 764,3 milhões. No ano, a queda foi de 11,1%, para R$ 2,802 bilhões, o que a empresa atribuiu aos maiores investimentos na construção de ativos nos municípios operados em 2017, principalmente no Sistema Produtor São Lourenço (PPP).

O resultado financeiro ficou positivo entre outubro e dezembro de 2018, em R$ 29,6 milhões, contra cifra negativa de R$ 403,5 milhões observada um ano antes. Em 2018, a linha ficou negativa em R$ 1,264 bilhão, ante R$ 458,1 milhões também negativos em 2017.

Operacional

O volume faturado de água e esgoto totalizou 950,1 milhões de metros cúbicos (m?) no quarto trimestre de 2018, o que corresponde a um aumento de 0,8% em relação ao mesmo período de 2017. No segmento de água, o indicador alcançou 534,0 milhões de m? (+1,1%), enquanto em esgoto o volume foi de 416,1 milhões de m? (+0,5%).

No acumulado de 2018, o volume faturado de água e esgoto atingiu 3,749 bilhões de m?, um crescimento anual de 1,5%.

Perspectivas

Em relatório da administração sobre 2018, a companhia menciona que um dos focos para 2019 é a obtenção das licenças para iniciar as obras de captação da Bacia do Rio Itapanhaú, estrutura que será fundamental para enfrentar futuras estiagens na Região Metropolitana de São Paulo, área que, naturalmente, possui baixíssima disponibilidade hídrica.

Para o período de 2019 a 2023, a Sabesp planeja investir diretamente cerca de R$ 18,7 bilhões, sendo R$ 7,7 bilhões em água e R$ 11,0 bilhões em coleta e tratamento de esgoto. Até 2023, a estatal tem a meta de realizar 954 mil novas ligações de água e 1,2 milhão de novas ligações de esgoto.

Em relação à atualização do marco regulatório do setor de saneamento, estabelecida pela medida provisória 868/2018, a Sabesp recorda que a conversão do texto em lei depende da aprovação do Congresso. "Embora a MP 868 esteja em vigor desde a sua publicação, atualmente não é possível prever seus impactos sobre os contratos que vierem a ser firmados durante a sua vigência. Se a medida for convertida em lei, os negócios, os resultados operacionais e as condições financeiras da companhia poderão ser impactados", escreve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.