Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Lucro da TAM cai 77% em trimestre marcado por acidente

Resultado da aérea é afetado por aumento de custos e diminuição de receiras após acidente em SP

Alberto Alerigi Jr., da Reuters,

09 de novembro de 2007 | 09h12

A TAM divulgou nesta sexta-feira, 9, que encerrou o terceiro trimestre com lucro de R$ 48,5 milhões, recuo de 77,2% na comparação com o resultado obtido um ano antes. O balanço foi atingido por aumento de custos e diminuição de receitas durante um trimestre marcado pela queda de uma aeronave da empresa no aeroporto de Congonhas, em São Paulo.  Esta semana, a rival Gol divulgou queda de 79% no lucro líquido do terceiro trimestre, também impactada pelos problemas do mercado brasileiro de aviação e aumento de custos no período.  A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação, amortização e leasing de aeronaves (Ebitdar, na sigla em inglês) foi de R$ 313,33 milhões, 45% abaixo dos R$ 568,55 milhões registrados no terceiro trimestre de 2006. A margem caiu de 27,4% para 15,2%.  A companhia manteve suas estimativas de desempenho para o ano, de crescimento da demanda doméstica entre 10% e 15% e taxa de ocupação de aeronaves de 70%. A empresa divulgou que para 2008, a expectativa para a expansão na demanda interna é de 8% a 12%, com a mesma taxa de ocupação de aeronaves de 2007.  A receita operacional líquida doméstica e internacional caiu ligeiros 0,7% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2006, para R$ 2,061 bilhões. Enquanto a receita externa cresceu 22,3%, a interna caiu 17% no período.  Enquanto isso, o total de custos de serviços prestados e despesas operacionais avançou 16,1%, para R$ 2 bilhões. Separadamente, a conta com combustíveis cresceu 9,1%, enquanto despesas com pessoal cresceram 57,2%.  A empresa transportou 6,7 milhões de passageiros pagantes no trimestre passado, queda de 1,4% sobre o mesmo período de 2006. Enquanto isso, a oferta de assentos cresceu 29,3%, com adição de novas aeronaves à frota, e a taxa de ocupação recuou de 76,8 para 68,6%.

Tudo o que sabemos sobre:
TAMlucro de empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.