Lucro das Lojas Americanas salta 444% no 3º tri, a R$ 36,5 mi

Rede de varejo traça plano de expansão e pretende abrir 400 lojas até 2013 no Norte, Nordeste e Centro-Oeste

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

06 de novembro de 2009 | 07h38

A rede de varejo Lojas Americanas registrou no terceiro trimestre de 2009 lucro líquido de R$ 36,5 milhões, 444,8% maior na comparação com os R$ 6,7 milhões anotados no mesmo período de 2008. A receita líquida consolidada alcançou R$ 2,006 bilhões, alta de 20,5% ante o 3ºtri08.

 

O Ebitda (sigla em inglês para o ganho antes de impostos, juros, depreciação e amortização) consolidado foi de R$ 221,6 milhões, o que representa um aumento de 9,8% na mesma base de comparação. A margem Ebitda ficou em 11%, 1,1 ponto porcentual menor que no 3ºtri08. A despesa financeira líquida caiu 24,9%, para R$ 90,5 milhões.

 

A rede anunciou nesta sexta-feira que pretende abrir 400 lojas entre os anos de 2010 e 2013. Segundo o relatório de desempenho do terceiro trimestre, atualmente a companhia tem 471 pontos-de-venda em 146 municípios, e a intenção é abrir novas lojas em cidades mais distantes dos grandes centros.

 

"Acreditamos que no momento existe a possibilidade do nosso varejo físico estar presente em mais de 200 cidades além das que já operamos", informa a empresa. Conforme a companhia, o plano de expansão deve beneficiar especialmente as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A varejista atua em 22 Estados mais o Distrito Federal, com uma distribuição de 66% na região Sudeste, 19% na Sul e Centro-Oeste, 15% no Norte e Nordeste.

 

A projeção da empresa para o final de 2013 é passar de 315 para 515 lojas no Sudeste, de 61 para 151 no Nordeste, de 9 para 49 no Norte, de 38 para 78 no Centro-Oeste, e de 53 para 83 na região Sul. A proporção das inaugurações deverá ficar em 70% para as lojas tradicionais (área média de 1,3 mil a 1,5 mil metros quadrados) e 30% para as do tipo Express (área média de 300 a 500 metros quadrados).

 

Para 2010, a empresa conta com sete contratos de assinados, de 13 lojas em fase de elaboração de contrato e 42 lojas em negociação de abertura. Segundo a companhia, será possível a abertura de até 60 novas lojas em 2010. A empresa revela ainda que para poder comportar a taxa de expansão das lojas até 2013 prevê inaugurar mais dois centros de distribuição, nas regiões Sul e Centro-Oeste. Segundo a Lojas Americanas, a atual posição em caixa e a geração futura, atreladas ao alongamento do perfil da dívida, deverão comportar o investimento, que poderá atingir R$ 1 bilhão.

 

Vendas crescem 8%

 

A rede apresentou crescimento de 8% das vendas no conceito mesmas lojas no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo relatório de desempenho financeiro, a receita líquida da controladora - que exclui as operações da B2W, braço de comércio eletrônico - subiu 15,8%, para R$ 1,032 bilhão.

 

O prazo de financiamento do capital de giro líquido da controladora da Lojas Americanas registrou uma redução de 7 dias entre julho e setembro na comparação com o mesmo intervalo de 2008. Isso reflete uma redução de 4 dias, para 102, no prazo de pagamento aos fornecedores, uma queda de 6 dias nas contas a receber, para 37, e uma retração de 5 dias nos estoques, para 93 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
VAREJOLASARESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.