Paulo Vitor/ Estadão
Paulo Vitor/ Estadão

Lucro do Banco do Brasil sobe 148,4% em 12 meses e vai a R$ 7,47 bi no 2º tri

Resultado do segundo trimestre foi influenciado pela venda das ações da BB Seguridade; lucro no semestre, de R$ 10 bilhões, foi o maior da história dos bancos

Aline Bronzati, da Agência Estado,

13 de agosto de 2013 | 07h44

O Banco do Brasil anunciou nesta terça-feira, 13, lucro líquido de R$ 7,472 bilhões no 2º trimestre, aumento de 148,4% em 12 meses, influenciado pela venda das ações da BB Seguridade, área de previdência, seguros e capitalização. No primeiro trimestre, o banco havia registrado lucro de R$ 2,557 bilhões. Sendo assim, no primeiro semestre, o lucro somou R$ 10 bilhões, o maior da história dos bancos.

O banco anunciou dividendos de R$ 2,177 bilhões, o que significa cerca de R$ 0,7769 por ação. O bônus será pago em 30 de agosto.

A carteira de crédito ampliada do banco encerrou junho em R$ 638,628 bilhões, expansão de 7,7% ante março e de 25,7% em 12 meses. Os destaques do período, conforme relatório do banco que acompanha suas demonstrações financeiras, foram as carteiras pessoa jurídica e de agronegócios, que registraram aumentos em 12 meses de 28,8% e 32,8%, respectivamente. Ao final de junho, o BB ampliou sua liderança em crédito no sistema financeiro nacional, atingindo 20,8% de participação de mercado.

Os empréstimos destinados à pessoa física totalizaram R$ 161,550 bilhões no segundo trimestre, aumento de 15,9% em doze meses e de 3,3% sobre março, respondendo por 25,3% da carteira de crédito do banco. Já os recursos destinados às pessoas jurídicas somaram R$ 300,142 bilhões, com elevação de 28,8% e 5,4%, respectivamente. Esse segmento responde por 47,0% da carteira de crédito total do BB.

Os ativos do Banco do Brasil alcançaram R$ 1,21 trilhão no primeiro semestre de 2013, crescimento de 15,5% em 12 meses, favorecido principalmente pela expansão da carteira de crédito.

O BB encerrou o segundo trimestre com patrimônio líquido médio de R$ 64,721 bilhões, montante 6,4% superior ao visto em igual intervalo de 2012.

Lucro ajustado. O banco também divulgou lucro líquido ajustado de R$ 2,634 bilhões no segundo trimestre deste ano, recuo de 11,8% ante a cifra registrada no mesmo intervalo do ano passado, de R$ 2,986 bilhões. O lucro líquido ajustado veio em linha com as expectativas de analistas do mercado. Apesar disso, o resultado é 11,8% menor do que o registrado em igual intervalo de 2012, de R$ 2,986 bilhões.

A expectativa média de 12 casas consultadas pelo Broadcast (Bank of America Merrill Lynch, Bradesco, BTG Pactual, Citibank, Credit Suisse, Deutsche Bank, Grupo Bursátil Mexicano (GBM), Goldman Sachs, Itaú BBA, Morgan Stanley, Safra e UBS) apontava para lucro líquido ajustado de R$ 2,648 bilhões no período. O Broadcast considera que o resultado está em linha com as projeções quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco do Brasilbalanços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.