Lucro do Grupo Bimbo cai 16% no 2º tri para US$ 91 mi

A companhia panificadora mexicana Grupo Bimbo informou hoje que seu lucro líquido caiu 16% no segundo trimestre, para 1,05 bilhão de pesos (US$ 91 milhões), ante 1,26 bilhão de pesos no mesmo trimestre do ano anterior. Segundo a empresa, o aumento dos preços de matérias-primas como cacau, trigo, óleos e açúcar continuou reduzindo as margens de lucro.

FILIPE DOMINGUES, Agencia Estado

21 de julho de 2011 | 20h08

Entretanto, o Bimbo explicou que custos mais baixos de financiamento o ajudaram a conter a perda de lucratividade. A margem de lucro líquida do trimestre reduziu 0,90 ponto porcentual, para 3,5%. O lucro operacional caiu 15,6%, para 2,29 bilhões de pesos.

A receita no período de abril a junho cresceu 4%, para 30 bilhões de pesos. As vendas no México cresceram 9%, para 15,32 bilhões, em virtude das elevações de preço e de um crescimento no volume de vendas de biscoitos e pães. As vendas nos Estados Unidos aumentaram 1% em dólar, mas caíram 5,8% em pesos, já que a moeda mexicana se valorizou em relação ao dólar dos Estados Unidos.

Os Estados Unidos são o segundo maior mercado do Bimbo depois do México, com vendas no segundo trimestre de 11,49 bilhões de pesos. Em outras regiões da América Latina, as vendas da companhia cresceram 20%, para 3,97 bilhões de pesos durante o período de três meses. No Brasil, o Grupo Bimbo é dono das marcas Pullman, Ana Maria, Firenze, Laura, Nutrella e Plus Vita. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
lucroBimboquedaMéxico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.