Lucro do JPMorgan despenca por perdas com empréstimos

O lucro do JPMorgan Chase no terceiro trimestre derreteu 84 por cento, pressionado por baixas contábeis em empréstimos de baixa performance nas carteiras de financiamentos alavancados e hipotecas, informou o banco nesta quarta-feira. A instituição norte-americana informou uma baixa contábil de 3,6 bilhões de dólares nas operações de banco de investimentos, levando as perdas totais com crédito e queda de valores de ativos desde que a crise do crédito começou no último ano para 12,3 bilhões de dólares, muito abaixo da sofrida por bancos como o Citigroup, que informou 50 bilhões de dólares. "Dadas as incertezas nos mercados de capitais, no setor imobiliário e na economia como um todo, é racional esperar lucros reduzidos para nossa instituição durante os próximos trimestres", disse o presidente-executivo Jamie Dimon. As ações do JPMorgan caíram 0,21 dólar, para 41,50 dólares nos negócios antes da abertura dos mercados, depois de terem recuado três por cento na terça-feira. No último mês, o JPMorgan vendeu 10 bilhões de dólares em ações para financiar a aquisição de 1,9 bilhão de dólares do Washington Mutual, operação que marcou o maior colapso de um banco na história dos Estados Unidos. A compra fez do JPMorgan o segundo maior banco dos Estados Unidos em depósitos, mas também sobrecarregou a instituição com hipotecas problemáticas que geraram dolorosas baixas contábeis e perdas com crédito. Como parte da aquisição, o JPMorgan registrou baixa contábil de mais de 30 bilhões de dólares e informou que vai incorrer em 1,5 bilhão de dólares em custos antes de impostos.

REUTERS

15 Outubro 2008 | 09h50

Mais conteúdo sobre:
EMPRESAS JPMORGAM LUCRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.