Lucro do Pão de Açúcar recua 52,6% no 2º trimestre

O Pão de Açúcar registrou lucro líquido consolidado, incluindo as operações do Ponto Frio, de R$ 62,3 milhões no segundo trimestre deste ano, o que representa uma queda de 52,6% em relação a igual período do ano passado. Excluindo o Ponto Frio, o lucro líquido da companhia caiu 37,4%, para R$ 82,5 milhões. Os resultados não incorporam os números da Casas Bahia.

RODRIGO PETRY, Agencia Estado

28 de julho de 2010 | 08h22

Segundo o relatório de administração que acompanha o balanço, o lucro líquido do período foi impactado pelo efeito extraordinário da adesão ao programa de parcelamento de impostos. Esse valor líquido de imposto de renda e do efeito de participação de minoritários totaliza R$ 44,5 milhões. Desconsiderando esse valor, o lucro líquido ajustado seria de R$ 127 milhões, o que representaria uma redução de 3,6%.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou R$ 394,9 milhões, o que representa uma alta de 14,4% ante o mesmo intervalo o ano passado. Já a margem Ebitda encerrou o período em 5,7%, queda de 1,2 ponto porcentual. Sem o Ponto Frio, o Ebitda avançou 4,2%, para R$ 359,7 milhões, com margem de 6,4%.

A receita líquida consolidada do Pão de Açúcar totalizou R$ 6,977 bilhões no segundo trimestre, alta de 39,4% ante o mesmo intervalo de 2009. Excluindo-se as operações do Ponto Frio, as vendas líquidas no período cresceram 12,7%, para R$ 5,641 bilhões. A margem bruta consolidada encerrou o segundo trimestre em 23,4%, ante 25,3% no mesmo intervalo de 2009. Excluindo-se Ponto Frio, a margem bruta foi de 24,8% no segundo trimestre deste ano. A maior participação nos resultados consolidados da bandeira Assai e o regime de substituição tributária contribuíram para a retração na margem, segundo o balanço.

No conceito mesmas lojas - que inclui as unidades com mais de 12 meses de funcionamento -, as vendas brutas aumentaram 9,9% no segundo trimestre, o que representa um crescimento real (descontada a inflação) de 4,6%. As vendas brutas no conceito mesmas lojas de produtos alimentícios avançaram 7,9%, com destaque para as categorias de bebidas e perecíveis. Já as vendas de não alimentos cresceram 16,2%, puxadas por eletroeletrônicos, em razão dos efeitos positivos da Copa do Mundo sobre as vendas.

Ponto Frio

Apenas a bandeira Ponto Frio, que inclui comércio eletrônico, teve lucro líquido de R$ 36 milhões no segundo trimestre, após um prejuízo de R$ 282,7 milhões no mesmo intervalo de 2009, quando os antigos controladores colocaram a empresa à venda. A receita líquida subiu 71,6%, para R$ 1,336 bilhão. Já o Ebitda somou R$ 35,2 milhões, ante resultado negativo de R$ 182,4 milhões de abril a junho de 2009.

No conceito mesmas lojas, as vendas brutas do Ponto Frio cresceram 54,6% em relação ao segundo trimestre de 2009. As vendas apenas por meio da internet, pelos sites Pontofrio.com.br e Extra.com.br, cresceram 45,4%.

O Pão de Açúcar encerrou o segundo trimestre com 1.102 unidades. Os investimentos somaram R$ 182,4 milhões no período, ante R$ 113,8 milhões no mesmo período do ano passado. No semestre, os aportes totalizam R$ 389,4 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.