Lucro do UBS cai 39% no 3º trimestre, mas fica acima do previsto

Atividade de negociação e de acordos ficou quase estagnada em alguns países com clientes relutantes em investir em meio à incerteza decorrente da crise da dívida europeia 

Hélio Barboza, da Agência Estado,

25 de outubro de 2011 | 07h39

O banco suíço UBS registrou declínio de 39% no lucro líquido do terceiro trimestre, uma vez que a atividade de negociação e de acordos ficou quase estagnada em algumas partes do mundo porque os clientes estiveram relutantes em fazer novos investimentos em meio à incerteza decorrente da crise da dívida europeia.

O banco informou que o lucro líquido caiu para 1,02 bilhão de francos suíços (US$ 1,16 bilhão) nos três meses encerrados em 30 de setembro, de 1,66 bilhão de francos suíços um ano antes. Contudo, o resultado superou a previsão dos analistas, que esperavam lucro de 302 milhões de francos suíços.

Em outubro, o UBS declarou que esperava apresentar um lucro líquido "modesto" no trimestre, apesar de registrar um enorme prejuízo com um caso de negociação fraudulenta e 387 milhões de francos suíços em despesas de reestruturação. Uma excentricidade contábil que permite a um banco registrar ganho sobre sua própria dívida quando as perspectivas se deterioram e uma oferta de bônus ajudaram a mitigar essas perdas.

Os resultados foram melhores do que o esperado porque o prejuízo com a negociação fraudulenta se revelou menor do que o previsto em 1,85 bilhão de francos suíços, enquanto o ganho sobre seu próprio crédito de 1,77 bilhão de francos suíços foi mais alto do que o previsto pelo UBS. A receita declinou 4%, para 6,41 bilhões de francos suíços. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
UBSlucro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.