Lucro líquido da Vale sobe 253% no 3º trimestre, para R$ 10,5 bilhões

No padrão contábil norte-americano, lucro líquido da mineradora subiu 260%

Chiara Quintão, Mônica Ciarelli e Luana Pavani, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 19h15

O lucro líquido da Vale aumentou 253,4%, para R$ 10,554 bilhões no padrão contábil brasileiro (BR GAAP). Na comparação com o terceiro trimestre de 2009, ainda nesse padrão, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) teve alta de 164,1% para R$ 15,923 bilhões.

No padrão contábil norte-americano (US GAAP), o lucro líquido da Vale subiu 260%, para US$ 6,038 bilhões no terceiro trimestre. Na comparação dos dois intervalos, a receita líquida aumentou 110%, para US$ 14,102 bilhões, enquanto a geração de caixa medida pelo Ebitda subiu 192,5%, para US$ 8,815 bilhões. Foi o melhor resultado da história da mineradora, com lucro e Ebitda recordes.

Nos primeiros nove meses do ano, lucro líquido da mineradora teve expansão de 163% (Foto: Divulgação)

Anteriormente, o lucro líquido recorde da Vale era o do segundo trimestre de 2008, no valor de US$ 5,009 bilhões. Já o recorde de Ebitda tinha sido registrado no terceiro trimestre de 2008, com US$ 6,374 bilhões.

Recentemente, a Vale divulgou que produziu 82,614 milhões de toneladas de minério de ferro no terceiro trimestre, seu melhor desempenho desde o recorde registrado no período equivalente de 2008. O volume de minério cresceu 8,9% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre e subiu 23,7% em relação ao mesmo período do ano passado. A produção de pelotas chegou ao volume recorde de 13,638 milhões de toneladas, o que representa expansão de 7,8% ante o segundo trimestre e alta de 71,1% na comparação com o terceiro trimestre de 2009.

Acumulado no ano

O lucro líquido da Vale cresceu 193,3% no acumulado de janeiro a setembro, para US$ 11,347 bilhões, no padrão contábil norte-americano (US GAAP), ante o mesmo período do ano passado. Na comparação dos dois intervalos, a geração de caixa medida pelo Ebitda subiu 145,7%, para US$ 17,247 bilhões.

No padrão contábil brasileiro (BR GAAP), o lucro líquido da Vale teve expansão de 163%, para R$ 20,068 bilhões nos nove meses do ano, em igual comparação. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortizações) aumentou 113%, para R$ 31,742 bilhões no período.

Vendas

As vendas de minério de ferro e pelotas da Vale totalizaram 78,628 milhões de toneladas no terceiro trimestre, um incremento de 7,8% se comparado ao mesmo período do ano passado. Esse é o terceiro melhor resultado trimestral da história da mineradora. As vendas de minério somaram 68,043 milhões de toneladas, resultado 1,9% superior ao do 3º trimestre de 2009. Já os embarques de pelotas cresceram no período 71,7%, passando de 6,162 milhões para 10,585 milhões de toneladas.

No acumulado do ano, as vendas dos dois produtos alcançaram 313,873 milhões de toneladas, um aumento de 19,6% frente ao apurado entre janeiro e setembro de 2009. Com os embarques de minério, a Vale faturou US$ 8,724 bilhões no terceiro trimestre, contra uma receita de US$ 3,821 bilhões no 3º trimestre de 2009. O faturamento com pelotas somou US$ 2,076 bilhões, acima dos US$ 412 milhões obtidos no mesmo trimestre do ano passado.

Preços

A Vale comercializou o minério de ferro no terceiro trimestre por um preço médio de US$ 128,21 por tonelada, cifra que representa um aumento de 124% se comparado ao valor negociado no mesmo período do ano passado. Na comparação com o trimestre anterior, quando era de US$ 91,93, o atual preço da tonelada é 39,5% maior. A disparada no preço do minério de ferro, principal produto comercializado pela companhia, ajudou a impulsionar o desempenho da mineradora, que registrou seu maior lucro trimestral da história.

O preço médio de pelotas ficou em US$ 196,14 por tonelada, o que representa um aumento de 193,3% frente ao valor do produto negociado no terceiro trimestre de 2009 e 27,6% na comparação com o segundo trimestre deste ano.

(Texto atualizado às 20h03)

Tudo o que sabemos sobre:
Valelucrominério

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.