Lula defende maior adesão de agricultores ao Pronaf

Brasília, 10 - Ao lançar hoje o Seguro da Agricultura Familiar,no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu uma maior adesão dos agricultores aos financiamentos do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), que dispõe este ano de R$ 7 bilhões para atender pequenos agricultores. Segundo ele, é a agricultura familiar que mais depende da atuação governamental. O objetivo do governo, afirmou o presidente, "não é substituir o mercado, mas evitar que o mercado por si só sufoque os mais frágeis". Lula respondeu à crítica do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Manoel dos Santos, que pouco antes, na solenidade, afirmou que o seguro lançado hoje atenderá apenas àqueles que procuram financiamento. Santos defende a concessão do seguro rural também para os agricultores que não fizerem empréstimos. "Prefiro procurar uma forma de aumentar o crédito de 7 bilhões a sobrarem recursos porque os agricultores não souberam como ter acesso ao crédito", disse Lula. Segundo ele, se os R$ 7 bilhões não forem usados pelos agricultores, a equipe econômica deverá reduzir esses recursos, de acordo a demanda. "Eu prefiro que no ano que vem nós tenhamos R$ 8 bilhões, do que reduzir para R$ 5 bilhões porque o recurso não foi necessário." O presidente defende que é preciso fazer com que todos os agricultores demandem os recursos oferecidos para que eles sejam ampliados em 2005. "Temos condições de no ano que vem fazer mais e melhor", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.