Lula diz que defenderá empresas brasileiras no exterior

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta quarta-feira a possibilidade de falar de empresas nacionais no exterior. "Não cobrarei um centavo de ninguém, mas me peça para defender uma empresa brasileira em qualquer parte do mundo, desde que faça coisa lícita, que eu irei fazer", disse.

LAÍS ALEGRETTI E RICARDO DELLA COLETTA, Agencia Estado

22 de maio de 2013 | 19h38

Sobre a negociação da compra de aviões de países como França, Estados Unidos e Rússia, Lula disse saber que "não tinha (relação de) amizade". "Cada um quer vender o seu peixe. Ninguém vai dar colher de chá para o Brasil", disse. Lula participa de seminário sobre as relações entre Brasil e África na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília.

Segundo ele, esse tema dificilmente seria tratado no passado. Ele defendeu que é necessário priorizar "aqueles (países) com quem o Brasil tem maior compromisso histórico".

Tudo o que sabemos sobre:
LULABRASÍLIACNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.