Lula nega interferência no caso Portugal Telecom e Oi

Presidente ressaltou que a entrada dos portugueses no capital da Oi não faz com que a operadora deixe de ser uma empresa nacional

Karla Mendes, da Agência Estado,

28 de julho de 2010 | 16h37

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje que o governo brasileiro não teve nenhuma interferência sobre as negociações da Portugal Telecom na compra de participação na Oi. O presidente frisou que Brasil e Portugal são "dois países soberanos", que podem negociar entre eles participação em empresas.

O presidente ressaltou, porém, que a entrada dos portugueses no capital da Oi não faz com que a operadora deixe de ser uma empresa nacional. "Vai ser uma empresa nacional", disse Lula após almoço com o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, no Itamaraty. Lula citou o exemplo da Petrobras e da Vale, que têm investidores estrangeiros e continuam sendo empresas brasileiras.

Questionado se espanhóis ou os mexicanos teriam o mesmo tratamento para possível compra de participação na Oi, Lula confirmou que sim, que teriam o mesmo tratamento. "Se fossem espanhóis, mexicanos ou franceses, seria a mesma coisa". O presidente observou, no entanto, que desconhece qualquer tentativa de entrada na Oi por outros grupos estrangeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
telefoniaLulaPortugal TelecomOi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.