Lula ouve que risco de racionamento de energia está afastado

O presidente Luiz Inácio Lula da Silvareuniu a cúpula do setor elétrico na noite desta quarta-feirano Palácio do Planalto e ouviu a avaliação de que não existerisco de racionamento ou falta de energia em 2008 e 2009. O ministro de Minas e Energia, Nelson Hubner, falou que onível dos reservatórios está abaixo do esperado no Nordestedevido à falta de chuva, mas reiterou que o fornecimento deenergia não está ameaçado. Mais cedo, o ministro já afirmara que não havia risco deracionamento e chegou a desautorizar o diretor-geral da AgênciaNacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman, quecogitara a possibilidade de um racionamento ainda esse ano. "Está descartado racionamento em 2008 e 2009. Ele (Kelman)colocou uma posição individual do diretor-presidente que nãoreflete a posição da agência", disse o ministro a jornalistas. Hubner frisou que a situação atual é diferente da de 2001,quando o país sofreu um apagão de energia. "Não temos motivo para alarde. Temos monitoradodiuturnamente a situação dos reservatórios e tomamos todas asmedidas para manter uma situação de segurança", acrescentou. O ministro referia-se à antecipação do funcionamento dastermelétricas do Nordeste e disse que outras medidas serãotomadas se o volume de chuvas não for satisfatório. Além de Nelson Hubner, Lula reuniu o diretor da Aneel e doOperador Nacional do Sistema (ONS), Hermes Chipp. (Texto de Mair Pena Neto, Edição de Eduardo Simões)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.