Magazine Luiza prevê faturamento de R$ 15 bi até 2015

O superintendente do Magazine Luiza, Marcelo Silva, disse hoje em entrevista a jornalistas que a companhia deverá atingir uma receita bruta anual de R$ 15 bilhões em 2015. Segundo ele, essa projeção leva em consideração um cenário de manutenção do crescimento da economia, novas aquisições, expansão orgânica e uma taxa anual de vendas no conceito mesmas lojas - que incluem unidades com no mínimo 12 meses de operação - de 15%.

RODRIGO PETRY, Agencia Estado

19 de julho de 2010 | 14h31

A companhia confirmou a aquisição da rede Lojas Maia, com atuação nos nove estados da região Nordeste, em um total de 141 lojas. O foco das lojas será o público das classes C e D. Silva evitou dar detalhes do valor da negociação, atendendo a um pedido dos antigos controladores da Lojas Maia. Ele informou apenas que, do total da aquisição, 40% do pagamento será realizado com capital próprio e o restante com refinanciamento das dívidas com bancos.

Silva afirmou que a empresa poderá fazer a abertura de capital, mas evitou dar prazos. "Vai chegar a hora, mas tudo vai depender do mercado. Só não sei quando", afirmou. Segundo ele, o cenário para que a empresa atinja um faturamento de R$ 15 bilhões em 2015 desconsidera a abertura de capital.

Aquisições

A companhia também prevê para outubro a inauguração de seu novo escritório de negócios, na cidade de São Paulo, onde concentrará "a parte estratégica da empresa". A presidente da companhia, Luiza Trajano, destacou que a empresa não está negociando mais nenhuma aquisição neste momento. Segundo ela, primeiro a empresa compra, depois consolida e, em seguida, parte para uma nova compra.

Luiza Trajano afirmou ainda que, no prazo de 12 meses, todas as lojas com a bandeira Maia adotarão o nome Magazine Luiza. Nos próximos três meses as lojas já receberão um logotipo da companhia. Em conjunto com a Lojas Maia, o Magazine Luiza deverá faturar R$ 6 bilhões em 2010. A rede atingirá um total de 611 lojas, distribuídas em 16 Estados, e contará com oito centros de distribuição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.