Magnesita interrompe investimento em recursos de grafite

O conselho de administração da produtora de refratários Magnesita decidiu interromper os investimentos da empresa na exploração de uma mina de grafite em Almenara, em Minas Gerais.

REUTERS

13 de novembro de 2014 | 20h10

A decisão decorreu de análises sobre o volume de recursos minerais na região, que indicaram uma operação de "aproximadamente seis anos apenas com produção anual de 40 mil toneladas", informou a companhia.

Como resultado da interrupção dos investimentos, a Magnesita fará uma baixa contábil de 21 milhões de reais no quarto trimestre. O conselho determinou à diretoria da empresa que "explore opções estratégicas" envolvendo os recursos certificados e potenciais localizados.

A companhia teve prejuízo de 18,3 milhões de reais no terceiro trimestre, após resultado negativo um ano antes de 21,7 milhões. A receita operacional subiu 10,5 por cento no período, a 714,7 milhões de reais.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou 100,5 milhões de reais de julho a setembro, avanço anual de 31,2 por cento.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAMAGNESITAREFRATINTERROMPE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.