Maior banco da Itália vai cortar 4 mil empregos

Em seu plano de negócios mais recente, o Intesa Sanpaolo alegou que sua folha de pagamento contava com  'excesso' de mais de 10 mil funcionários

Agência Estado,

30 de julho de 2011 | 13h05

O Intesa Sanpaolo, maior banco da Itália em ativos, chegou a um acordo com líderes sindicais para reduzir seu quadro de funcionários em cerca de 4 mil pessoas. As partes chegaram a um acordo no final da noite desta sexta-feira, 29, depois de três meses de negociações, informou neste sábado o principal grupo sindical dos bancários na Itália, conhecido como Fabi.

Pelo acordo, cerca de 3 mil funcionários deixarão o banco por meio de um programa de demissão voluntária, sendo que a maioria deverá antecipar a aposentadoria. Mais cortes deverão ser feitos, mas o Intesa Sanpaolo se comprometeu a fazer novas contratações depois de atingir uma redução líquida de 4 mil empregos.

Em seu plano de negócios mais recente, o banco italiano alegou que sua folha de pagamento contava com um "excesso" de mais de 10 mil funcionários. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.