Maior montadora da China estuda compra de fatia na GM

Saic, que constrói carros com a GM na China desde os anos 1990, ainda precisa decidir se participará do IPO que a GM esperar lançar em novembro

Regina Cardeal, da Agência Estado,

20 de setembro de 2010 | 12h53

A maior fabricante de veículos da China, Saic Motor Corp, está estudando a compra de uma participação na General Motors quando a companhia norte-americana voltar a abrir seu capital, disseram fontes ao Wall Street Journal.

A Saic, que constrói carros com a GM na China desde os anos 1990, ainda precisa decidir se participará do IPO que a GM esperar lançar em novembro, mas já manifestou interesse em fazê-lo, segundo as fontes. O IPO permitirá que o governo dos EUA comece a vender sua fatia de 61% na montadora. A GM não quis comentar.

O tema da compra de ações da GM por investidores estrangeiros no IPO é espinhoso para o Tesouro norte-americano. O governo teme ser criticado se uma companhia chinesa assumir uma participação num ícone industrial dos EUA como a GM, especialmente um que foi salvo com dinheiro dos contribuintes. O Tesouro começaria a vender suas ações por meio do IPO. O governo Obama está tentando evitar problemas políticos sem prejudicar a venda dos papéis com um afastamento de potenciais investidores.

Em comunicado na semana passada, o Tesouro informou que todos os investidores terão acesso às ações da GM num esforço para maximizar o preço das ações e criar uma base sólida de acionistas. O comunicado também destacou que nenhum acionista vai adquirir individualmente uma participação dominante por meio do IPO, afirmando que "nenhum investidor individual ou grupo de investidores receberá uma parcela desproporcional ou tratamento incomum".

A GM planeja começar a atrair investidores para o IPO imediatamente depois das eleições de 2 de novembro nos EUA, com o objetivo de lançar a oferta antes do fim de novembro. O executivo-chefe da GM, Dan Akerson, disse na semana passada que provavelmente levará anos para que o governo dos EUA se desfaça de toda a sua participação na montadora.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
GMChinaautomóveisações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.