Malaysia Airlines cortará um quarto dos funcionários em reestruturação, diz fonte

20 mil funcionários devem perder seus empregos na companhia que se vê abalada após dois desastres aéreos

REUTERS

25 de agosto de 2014 | 10h42

Cerca de um quarto do quadro de 20 mil funcionários da Malaysia Airlines deve ser cortado dentro de um plano de reestruturação para a companhia deficitária, que foi impactada por dois desastres aéreos neste ano, disse uma fonte com conhecimento direto do assunto.

O plano de reestruturação, que será revelado ainda nesta semana, incluirá cortes de rotas e de 5 mil a 6 mil postos de trabalho, segundo a fonte, que falou sob condição de anonimato. A fonte não estava autorizada a discutir o plano publicamente.

O controlador majoritário da companhia aérea, o fundo estatal Khazanah Nasional [KHAZA.UL] da Malásia, deve anunciar o plano para reestruturar a companhia a partir de 28 de agosto.

O Khazanah, que detém 69,37 por cento da companhia aérea, conhecida formalmente como Malaysian Airline System (MAS, na sigla em inglês), disse no começo deste mês que fechará o capital da MAS em um negócio de 435 milhões de dólares.

A MAS deve anunciar seus resultados do segundo trimestre em 28 de agosto. Espera-se uma ampliação nas perdas da companhia. A MAS tem enfrentado uma desaceleração nos negócios desde que o desaparecimento inexplicado do voo MH370 em março levou a companhia aérea ao seu pior desempenho trimestral em dois anos no período de janeiro a março.

Os problemas da companhia se aprofundaram em 17 de julho, quando o voo MH17 foi abatido sobre a Ucrânia, matando todas as 298 pessoas a bordo.

(Por Yantoultra Ngui)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASMALAYSIAAIRLINECORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.