Mandato da presidente do BC da Argentina deve ser renovado

Mercedes del Pont completa o mandato de cinco anos de seu antecessor Martín Redrado, que renunciou sete meses atrás

Marina Guimarães, da Agência Estado,

20 de setembro de 2010 | 15h16

O mandato da presidente do Banco Central da República Argentina (BCRA), Mercedes Marcó del Pont, vence nesta sexta-feira e tudo indica que a economista vai ser confirmada no cargo. Desde fevereiro, Del Pont completa o mandato de cinco anos de seu antecessor Martín Redrado, que renunciou sete meses atrás.

A economista, amiga da presidente Cristina Kirchner, enfrenta resistências por parte do ministro de Economia, Amado Boudou, que gostaria de ter alguém da sua confiança no cargo. Del Pont tem duas missões difíceis nos próximos dias: vencer os conflitos internos na equipe econômica e aprovar medidas de segurança para os clientes bancários.

Há um mês, Del Pont esteve na corda bamba depois de insinuar que a economia precisava de um toque de desaceleração para controlar a inflação. A opinião causou rebuliço na Casa Rosada, dando brecha para Boudou tentar colocar no cargo um nome da sua confiança. Contudo, nas últimas semanas, fontes da equipe econômica confirmaram à AE que Del Pont recuperou o prestígio junto a Cristina Kirchner. A nomeação dela para o próximo mandato deve ser publicada no Diário Oficial no mesmo dia de conclusão do atual período.

A dúvida da Casa Rosada é sobre a forma como será feita a confirmação: se envia a nomeação ao Senado para apreciação e devida aprovação de mandato de cinco anos, ou se a nomeia "em comissão", o que não contempla um mandato com período fixo. Com esperança de vencer a eleição à Presidência da República em outubro de 2011, a oposição defende a segunda alternativa, para que Del Pont não permaneça no cargo após o pleito.

Os mandatos do vice-presidente da autoridade monetária, Miguel Ángel Pesce, e de quatro diretores, Waldo Farías, Arnaldo Bocco, Arturo O'Connell e Zenón Biagosch, também estão vencendo. Destes, somente Pesce seria confirmado. A permanência dos demais, com exceção de Biagosch, que está decidido a deixar o cargo, ainda será sendo avaliada pelo governo.

Em meio às definições das autoridades da instituição, Del Pont tem a missão de estabelecer novas normas que visem a dar maior segurança aos clientes bancários, vítimas diárias de furtos e violentos roubos. Neste sentido, Del Pont se reúne, nesta tarde, com representantes dos bancos públicos e privados. Uma das principais normas tenta evitar grandes movimentos monetários em cash e dar maior segurança aos clientes. As medidas vão ser anunciadas na próxima quarta-feira.

A decisão de estabelecer novas normas contra a insegurança surgiu depois do recrudescimento de uma onda de assaltos aos clientes nas saídas das agências bancárias, denominadas "saideras", após saques de importante volume de dinheiro. 

Tudo o que sabemos sobre:
Banco CentralArgentinadel Pont

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.