Mantega diz que crise já afeta países emergentes

Segundo o ministro, a situação global está piorando, mas o "Brasil tem, além de vantagens econômicas, um grau de maturidade política"

Célia Froufe e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

23 de novembro de 2011 | 11h27

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira que já começa a haver contágio da crise internacional aos países emergentes, e que a crise está piorando.

Em audiência na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados, Mantega acrescentou que esse quadro pode se agravar, o que provocaria uma crise financeira, e que as perspectivas de crescimento econômico mundial não são animadoras.

"A cada dia a situação fica mais complicada e problemas na União Europeia e nos Estados Unidos não se resolvem. Estamos vendo uma recaída da crise de 2008: alguns países não conseguiram superá-la até hoje, o que nos deixa preocupados", continuou.

O ministro destacou que esses países estão endividados, que as taxas de crescimento são baixas e o desemprego, elevado. "A situação é complicada", resumiu. Para ele, é possível que o quadro se agrave e caminhe novamente para a constituição de uma crise financeira.

Brasil

Ele reafirmou, no entanto, que o Brasil tem feito esforços para ajudar na solução dos problemas e destacou que o País tem, além de vantagens econômicas, um grau de maturidade política que outros países não têm. "Lá (Estados Unidos e Europa) se paralisa o Estado. Aqui não se verifica isso", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.