Divulgação
Divulgação

Marca de chapéu mais famosa do cinema está à beira da falência

Dona do Borsalino, o chapéu que ficou famoso na cena final de Casablanca, vive dias de grave crise e pode ter um fim triste

Reuters

09 de março de 2015 | 10h37


MILÃO - A fabricante italiana de chapéus Borsalino, grife que frequentou a cabeça de políticos e celebridades do cinema, incluindo Humphrey Bogart em 'Casablanca', está buscando formas de escapar da crise financeira.

Fundada em 1857 pela família Borsalino, a empresa é uma das muitas pequenas casas de moda italianas que têm marcas fortes mas são fracas na gestão financeira e enfrentam dificuldades em tempos de crise e mercado interno estagnado.

"A empresa está avaliando uma série de opções para lidar com as suas dificuldades financeiras e ficar em condições de exercer a sua atividade", informou a companhia em um comunicado lacônico, sem dar mais detalhes dos seus planos ou explicações para as causas das dificuldades em que se encontra.

A imprensa italiana especula que a Borsalino, com sede na pequena cidade de Alexander, já entrou com pedido de proteção contra os credores, mas o CEO da empresa, Marco Moccia, garante que nenhuma decisão final foi tomada.

Em 2013, a empresa sofreu uma perda líquida de quase 22 milhões de euros, quando a receita caiu 11% para 13,6 milhões de euros.

A empresa, cujos elegantes chapéus de feltro e palha estilo Panama são vendidos em cadeias de moda de luxo em todo o mundo, tem nove lojas próprias na Itália e duas na França.

"Houve um aumento na demanda pelos produtos, clientes no exterior ainda estão comprando e revendedores não estão abandonando as campanhas de vendas", garantiu um porta-voz da empresa.

Em 2014, a Borsalino assinou um acordo de licenciamento com os chapéus Bollman para a distribuição nos Estados Unidos.

Os chapéus da empresa ficaram famosos na cabeça de atores como Alain Delon e Jean Paul Belmondo.

O ex-presidente italiano Giorgio Napolitano é um dos fãs da Borsalino e visitante frequente da loja da grife em Roma.

Tudo o que sabemos sobre:
ChapéuBorsalino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.