Marcas japonesas anunciam recall de 3,4 milhões de veículos

Proprietários serão chamados também no Brasil para reparo nos insulfladores de airbags, que correm risco de pegar fogo; Toyota vai convocar mais de 28 mil consumidores no País

O Estado de S.Paulo,

11 de abril de 2013 | 09h13

Texto atualizado às 20h05

TÓQUIO - As montadoras japonesas Toyota, Honda, Nissan e Mazda Motor anunciaram um recall de 3,39 milhões de veículos em todo o mundo para consertar airbags defeituosos fornecidos pela Takata Corp. O recall também será feito no Brasil, onde a Takata também tem fábrica e fornece o equipamentos para montadoras locais. Os insufladores de airbag dos veículos afetados pelo problema podem pegar fogo.

No Brasil, as montadoras foram notificadas pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon/MJ) para apresentar, de forma imediata, comunicado relativo ao recall por falha no airbag dos veículos. Caso os esclarecimentos não sejam apresentados, as empresas poderão sofrer sanções baseadas do Código de Defesa do Consumidor.

O Ministério da Justiça informou no início da noite que 28.964 consumidores serão convocados pela Toyota do Brasil a partir de 25 de abril. Os donos de modelos Corolla XEi e SEG fabricados entre 31 maio de 2002 e 06 de agosto de 2003 serão chamado para verificação e, se necessário, substituição da bolsa do airbag dianteiro dos veículos. Informações ao consumidor da Toyota podem ser obtidas pelo telefone 0800 703 0206 ou pelo site www.toyota.com.br.

A Honda do Brasil disse que "está avaliando a situação das unidades comercializadas no Brasil e se pronunciará tão logo os levantamentos sejam finalizados". A Nissan informou que ainda está analisando o problema no Brasil.

Do total de 3,39 milhões de veículos, a Toyota disse que vai fazer o recall de 1,73 milhão de veículos na América do Norte, Europa, Japão e outros mercados, enquanto a Honda disse que vai recolher 1,13 milhão de veículos globalmente. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
recallveiculoshondatoyotanissamazda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.