Paulo Whitaker|Reuters
Paulo Whitaker|Reuters

BRF vende a argentina QuickFood para Marfrig por U$S 60 milhões

Com operação, dona das marcas Sadia e Perdigão conseguiu levantar R$ 822 milhões de uma meta total de R$ 5 bilhões para redução de dívidas

Nayara Figueiredo, O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2018 | 11h12
Atualizado 08 Dezembro 2018 | 00h37

A BRF (dona da Sadia e Perdigão) anunciou nesta sexta-feira, 7, a venda de sua unidade argentina, a QuickFood, para a Marfrig por US$ 60 milhões. O acordo inclui a venda de terreno e equipamento de fábrica da BRF em Várzea Grande (MT) por R$ 100 milhões. A transação, estimada em cerca de R$ 330 milhões, faz parte de um plano de desinvestimento anunciado pela companhia de R$ 5 bilhões.

Com essa operação, a BRF conseguiu levantar R$ 822 milhões de sua meta de venda de ativos este ano para reduzir suas pesadas dívidas. A companhia, que teve seu nome envolvido nas operações Carne Fraca, em março do ano passado, e na Trapaça, em março deste ano, também espera concluir este ano a venda de seus negócios na Europa e na Tailândia.

“A BRF tem vencimentos de R$ 1,7 bilhão em dívidas no primeiro trimestre do ano que vem e vai usar os recursos com as vendas de ativos para reduzir alavancagem”, disse Lorival Luz, vice-presidente de operações da companhia.

Analistas do BTG Pactual avaliaram a operação como positiva, marcando o início da “saga” da BRF para cumprir a meta de desinvestimentos. “Ambos os ativos provavelmente estavam mostrando performance abaixo da esperada nos últimos anos, o que torna impossível calcular razoavelmente valores”, disseram os analistas, avaliando que a BRF deve fazer “muitos outros anúncios” de vendas nas próximas semanas e meses.

Relevante. Para a Marfrig, a aquisição reforça a posição da companhia em hambúrgueres. Para Eduardo Miron, presidente global da companhia, a divisão de hambúrgueres deve responder, em 2019, por 10% do faturamento da empresa sem a necessidade de fazer novas aquisições. A Marfrig ficou com a planta de hambúrgueres em Ohio, nos Estados Unidos, quando vendeu este ano a Keystone para a Tyson Foods.

Mais conteúdo sobre:
MarfrigBRFcarneQuickfood

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.