Marina Silva se diz satisfeita com texto da MP

Brasília, 15 - A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, demonstrou estar satisfeita com o texto da medida provisória que liberou o plantio e a comercialização de soja transgênica. A ministra disse que a MP reedita o texto da medida provisória do ano passado, que, segundo ela, é coerente e está na linha do substitutivo do deputado Renildo Calheiros (PCdoB-PE) ao projeto de biossegurança, aprovado na Câmara. O substitutivo foi aprovado na Câmara, mas alterado no Senado. Os senadores aprovaram um texto de autoria do senador Ney Suassuna (PMDB-PB), que dá mais poderes à CTNBio nas deliberações sobre transgênicos. A decisão do Senado contrariou a posição do Ministério do Meio Ambiente, que defende que órgãos como o Ibama tenham mais poder para tomar posição pobre os transgênicos. Marina Silva disse que o presidente Lula lhe garantiu que o governo vai trabalhar para que seja retomado o substitutivo do deputado Renildo Calheiros, na Câmara. "O presidente nunca falou que a posição do ministro Aldo Rebelo (que negociou a aprovação do substitutivo de Ney Suassuna) era posição do governo...O Senado, onde há dificuldade do governo em ter maioria, optou por um caminho", disse a ministra. Segundo ela, em nenhum momento o presidente Lula, o ministro da Casa Civil, José Dirceu, ou mesmo oficialmente o ministro Aldo Rebelo disseram que o governo defendia o texto aprovado no Senado. Segundo a ministra, a edição da MP foi tomada pelo governo "premido pelas circunstâncias", porque ele não poderia deixar que o plantio de soja entrasse novamente na ilegalidade. Marina Silva disse que não pretende deixar o Ministério depois deste último episódio. Ela disse que nunca deixou de batalhar por aquilo que acredita e que está empenhada em defender as posições do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.