Mataboi confirma retomada de exportações para UE

Frigorífico de Araguari, em Minas Gerais, diz que primeiro abate de animais será feito na próxima segunda

Raquel Massote, da Agência Estado,

31 de março de 2008 | 16h22

A secretaria de Estado da Agricultura de Minas informou nesta segunda-feira, 31, que o frigorífico Mataboi, de Araguari, no Triângulo Mineiro, confirmou a retomada das exportações de carne bovina para a União Européia, após a suspensão do embargo de compra de carne in natura pelo bloco. De acordo com as informações, o abate do primeiro lote de animais será feito na próxima segunda-feira, 7 de abril, de um total de 500 cabeças provenientes de fazendas mineiras de Ibiá, Araguari e Paracatu.  O frigorífico informou que devido à baixa oferta de animais estão sendo feitos contatos com todas as fazendas do Estado que tenham passado pela seleção da UE, independente da distância, na busca de gado para abate. Com as vendas do Mataboi, sobe para quatro o número de frigoríficos instalados no Estado que reativaram as exportações para a UE.  A expectativa do secretário de Estado da Agricultura, Gilman Viana Rodrigues é de que a retomada das exportações pelos frigoríficos europeus ocorra de forma gradual até que o ritmo de vendas que vinha ocorrendo antes das restrições européias, seja restabelecido. Do total de 97 fazendas brasileiras autorizadas a exportar para a União Européia, 80 estão em Minas Gerais.  O primeiro frigorífico do Estado a retomar as exportações foi o Independência, no norte de Minas. Na última quarta-feira, foram abatidos 429 animais. Todas as cabeças pertenciam a fazendas mineiras aprovadas pela União Européia, localizadas em Joaquim Felício, Jaíba e Francisco Sá. A carne será embarcada nesta semana, pelo porto de Santos, para a Holanda.  No último sábado, outros dois frigoríficos fizeram abates com o objetivo de exportar para a UE. O frigorífico Frisa, localizado em Nanuque, no Vale do Mucuri, abateu 629 animais de fazendas mineiras localizadas em Ataléia e Jequitinhonha. Na próxima semana, serão abatidos mais 391 animais de propriedades do Estado localizadas em Jequitinhonha e Pavão. O grupo tem clientes na Itália, Espanha, Finlândia e Inglaterra.  De acordo com a secretaria, o frigorífico Bertin, localizado em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, abateu 1,2 mil animais no último sábado e irá fazer um novo abate, de 600 animais, no próximo final de semana. Todos os animais também foram adquiridos das fazendas de Minas. A produção de 200 toneladas de carne seguirá para a Itália. Segundo o frigorífico, a redução das exportações para a UE não diminuiu a produção da unidade, que redirecionou a venda de carne para outros mercados. O outro frigorífico instalado em Minas e habilitado a exportar para a União Européia é o JBS-Friboi, com unidades em Iturama e Teófilo Otoni. A empresa ainda não anunciou a retomada das vendas para a UE. A inclusão de novas fazendas de Minas na lista aprovada pela União Européia só será feita após o treinamento de 36 auditores do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), que começou nesta segunda-feira (31), em Brasília. Após a capacitação, o IMA irá auditar todas as fazendas mineiras inscritas no Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (Sisbov). O curso, promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, terá duração de 80 horas e será conduzido por técnicos da União Européia. O treinamento de técnicos estaduais de defesa sanitária no trabalho de certificação das fazendas foi definido no último dia 18, durante uma reunião entre o Conselho Nacional de Secretários de Estado de Agricultura (Conseagri) e o Ministério da Agricultura.

Tudo o que sabemos sobre:
União EuropéiaCarne

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.