Mattel assume culpa por recall e pede desculpas à China

Fabricante admite que retirou das lojas mais brinquedos chineses do que o justificado

Associated Press,

21 de setembro de 2007 | 09h47

A fabricante americana de brinquedos Mattel divulgou nesta sexta-feira, 21, um pedido de desculpas a Pequim por causa de recentes recalls de brinquedos produzidos na China. Segundo a fabricante, os defeitos nos itens retirados do mercado foram provocados por um erro de projeto, e não por problemas de fabricação. A companhia afirma ainda que retirou das lojas mais brinquedos chineses do que o justificado. O pedido de desculpas foi feito por Thomas A. Debrowski, vice-presidente executivo de operações internacionais da Mattel, durante uma reunião com Li Changjiang, diretor de segurança de produtos do governo chinês. "Nossa reputação foi abalada pelos recalls. A Mattel assume a inteira responsabilidade e pede desculpas pessoalmente ao povo chinês e a todos os nossos clientes que receberam os brinquedos", declarou ele. Ao longo dos últimos meses, a Mattel ordenou três recalls em larga escala de milhões de brinquedos fabricados na China em meio a preocupações com a contaminação provocada pela presença de chumbo na tinta e com pequenos ímãs que poderiam ser engolidos por crianças. "A ampla maioria desses produtos apresentou defeito por causa de um erro de projeto cometido pela Mattel, e não por erros de fabricação na China", prosseguiu Debrowski. Segundo ele, os brinquedos com tinta contaminada com chumbo representavam uma parcela pequena dos itens retirados das lojas. "Nós entendemos que isso causou danos também à reputação dos fabricantes chineses." Brasil Por medida de precaução, o governo brasileiro suspendeu no dia 17 de agosto todas as importações de brinquedos da Mattel. Entre os brinquedos que deixaram de ser importados estão os populares Barbie, Batman e Polly. A Mattel protestou contra a medida que classificou como "desproporcional". A empresa comparou a decisão do governo ao "fechamento de uma montadora por causa de um recall de cinto de segurança em um modelo específico". Agora, a retomada das importações depende de a Mattel convencer o Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) de que todas as medidas de segurança necessárias foram adotadas.

Tudo o que sabemos sobre:
Mattelrecall

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.