Média das exportações brasileiras caiu 5,8% na terceira semana de maio

Na terceira semana do mês, exportações somaram US$ 5,209 bilhões; houve retração nas vendas de produtos semimanufaturados e básicos

Sandra Manfrini, da Agência Estado ,

23 de maio de 2011 | 17h08

A média das exportações brasileiras na terceira semana de maio (16 a 22), de US$ 1,041 bilhão, representou uma queda de 5,8% em relação à média registrada até a segunda semana de maio (US$ 1,106 bilhão). Segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 23, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), no período, houve retração nas vendas de produtos semimanufaturados (-26,4%) e básicos (-3,8%). Por outro lado, as exportações de manufaturados cresceram 1,6%. Na terceira semana do mês, as exportações somaram US$ 5,209 bilhões.

As importações, que totalizaram US$ 4,923 bilhões no período, com média diária de US$ 984,6 milhões, tiveram aumento de 14,5% pela média diária em relação ao registrado até a segunda semana do mês (US$ 859,6 milhões). Segundo dados do MDIC, cresceram as compras de combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos, veículos automóveis e partes, borracha e obras, e cobre e suas obras.

No acumulado do mês de maio, até o dia 22, as exportações totalizaram US$ 16,265 bilhões (média diária de US$ 1,084 bilhões), registrando um aumento de 28,6% ante a média registrada em maio do ano passado (US$ 843 milhões). Segundo os dados do MDIC, houve aumento nas três categorias de produtos.

Entre os básicos, o aumento foi de 40,8% puxado pelas exportações de trigo em grão, minério de ferro, petróleo, soja em grão, farelo de soja e carne de frango e suína. Nos semimanufaturados, houve incremento de 25,9% com destaque para semimanufaturados de ferro e aço, ferro fundido, óleo de soja, couros e peles, ferro-ligas e celulose. Já com relação aos manufaturados, houve um aumento de 12% puxado pelos laminados planos, veículos de carga, partes de motores para veículos, polímeros plásticos, óxidos e hidróxidos de alumínio e máquinas e aparelhos para terraplenagem.

Na comparação com abril último, quando a média diária exportada foi de US$ 1,061 bilhão, houve aumento de 2,1% nas vendas externas, com crescimento nas exportações de básicos (5,8%) e semimanufaturados (2,5%). Com relação aos manufaturados, houve queda de 3%.

As importações, no mês, somam US$ 13,519 bilhões, com média diária de US$ 901,3 milhões, o que representa um aumento de 32,8% ante a média verificada em maio de 2010 (US$ 678,8 milhões). De acordo com o MDIC, cresceram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (96,4%), combustíveis e lubrificantes (64,9%), plásticos e obras (40,4%) e equipamentos mecânicos (36,8%).

Na comparação com abril, quando a média diária das importações alcançou US$ 963,7 milhões, houve retração de 6,5%. As quedas ocorreram, principalmente, nas compras de farmacêuticos (-26,7%), veículos automóveis e partes (-22,8%), borracha e obras (-16,2%), cobre e suas obras (-10,2%), cereais e produtos de moagem (-8,9%) e combustíveis e lubrificantes (-8,3%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.