Média diária exportada caiu 6,5% na quarta semana de julho, diz MDIC

No período, as exportações somaram US$ 5,224 bilhões, com média diária de US$ 1,044 bilhão, enquanto a média diária das exportações no mês era de US$ 1,118 bilhão

Sandra Manfrini, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 17h47

A média diária exportada na quarta semana de julho (18 a 24) caiu 6,5% ante a média diária registrada até a terceira semana do mês. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 25, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), no período, as exportações somaram US$ 5,224 bilhões, com média diária de US$ 1,044 bilhão, enquanto a média diária das exportações no mês era de US$ 1,118 bilhão.

Nessa base de comparação, caíram as vendas de produtos semimanufaturados (-11,2%), entre eles açúcar em bruto, celulose e semimanufaturados de ferro e aço. Também foi verificada queda nas exportações de manufaturados (-9,4%), com destaque para açúcar refinado, combustíveis, automóveis e polímeros plásticos que tiveram a maior retração. Entre os básicos, a queda foi de 3,7%, principalmente, petróleo, soja em grão, carnes de frango e fumo.

Enquanto isso, as importações totalizaram US$ 4,841 bilhões na quarta semana de julho, com média diária de US$ 968,2 milhões, o que representou um acréscimo de 3,6% em relação à média apurada até a terceira semana (US$ 868,1 milhões). Esse aumento, segundo o MDIC, foi motivado, principalmente, pelo aumento dos gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos elétricos e eletrônicos, automóveis e partes e produtos químicos.

No mês, as exportações somam US$ 17,524 bilhões (média diária de US$ 1,095 bilhão). Segundo os dados do MDIC, houve aumento de 36,3% na comparação com a média diária de julho de 2010 (US$ 803,3 milhões), em razão do aumento das vendas nas três categorias.

As exportações de básicos cresceram 51,8%, com destaque para petróleo em bruto, minério de ferro, soja em grão, café em grão e minério de cobre. Nos semimanufaturados, o aumento foi de 34,3%, com maior expansão nas vendas de açúcar em bruto, semimanufaturados de ferro e aço, celulose, alumínio em bruto e catodos de cobre. Com relação aos manufaturados, o aumento das exportações foi de 18,3%, com destaque para açúcar refinado, óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio, polímeros plásticos, etanol e máquinas e aparelhos para terraplanagem e veículos de carga.

Na comparação com junho deste ano, quando a média diária exportada foi de US$ 1,128 bilhão, houve uma queda de 2,9%. Foi verificada redução nas vendas de manufaturados (-14,2%) e semimanufaturados (-0,1%), enquanto as vendas de básicos cresceram 5,3%.

Com relação às importações, elas somam no mês US$ 14,390 bilhões (média diária de US$ 899,4 milhões), o que representa uma alta de 21,2% em relação ao mesmo mês de 2010 (média diária de US$ 742,2 milhões). Segundo dados do MDIC, cresceram os gastos com aquisições de adubos e fertilizantes (80,1%), veículos automóveis e partes (46,5%), plásticos e obras (34,4%), aparelhos eletroeletrônicos (24,3%) e equipamentos mecânicos (13,1%).

Na comparação com junho deste ano (média diária de US$ 917,2 milhões), as importações tiveram retração de 1,9%, com queda nas compras de combustíveis e lubrificantes (-19,7%), equipamentos mecânicos (-2,8%), químicos orgânicos e inorgânicos (-2,3%) e instrumento de ótica e médicos (-2,1%).

Tudo o que sabemos sobre:
exportaçõesmediamdic

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.