Medidas para exportações podem ser antecipadas, diz Confederação

Possibilidade de antecipação aumenta se dólar não voltar a apresentar tendência de fortalecimento nos próximos dias

Célia Froufe,

10 de fevereiro de 2010 | 17h30

A economista da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Rosemeire Santos, acredita que, se o dólar não voltar a apresentar uma tendência de fortalecimento nos próximos dias, o governo antecipará seu pacote de medidas para auxiliar as exportações. O assunto já vem sendo estudado dentro do Ministério da Fazenda e, segundo apurou a Agência Estado na segunda-feira, 8, as medidas de estímulo ao setor apenas ficarão prontas após o feriado de carnaval.

 

"Temos a expectativa de que, se o câmbio não reagir, o governo apresentará medidas para a exportação, mas sabemos destes estudos desde o final do ano passado", lembrou Rosemeire em relação ao fato de o anúncio ainda não ter sido feito até o momento.

 

A economista da CNA argumentou que as medidas serão bem-vindas porque os preços do setor tendem a ser reduzidos ao longo deste ano, fazendo com que as margens para os produtores fiquem ainda mais apertadas. "Isso pode colocar os produtores, principalmente os de commodities, em situação complicada", previu. "Não vou dizer que ligamos o sinal vermelho ainda, mas o agronegócio já está com o sinal amarelo", continuou, acrescentando que, mesmo commodities que já amargaram perdas expressivas nos últimos dias, como a soja, podem cair mais.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.