Membro da família Busch fala em manter 'forte' dona da Budweiser

Andrew D. Busch, membro da famíliaque dá metade do nome ao grupo cervejeiro Anheuser-Busch, disseno sábado que apóia os esforços da empresa para continuar como"uma companhia forte sediada em St. Louis". Busch, tio do diretor-executivo August A. Busch IV, disseque apóia seu sobrinho, o conselho de diretores e a equipe degestão da Anheuser-Busch, que tentam avaliar e dar uma respostaà oferta de 46,3 bilhões de dólares feita pela belgo-brasileiraInBev . "Acredito que a Anheuser-Busch criou um valor substancialpara o acionista no longo prazo e isso vai continuar apreservar os melhores interesses dos acionistas e dosfuncionários", disse. Mas Andrew Busch, que não é funcionário da empresa e quenão tem mais poder de decisão sobre o futuro da companhia doque um acionista comum, evitou recomendar que a Anheuser devarejeitar a proposta de 65 dólares por ação feita pela InBev. Busch acrescentou que não fala por outros membros dafamília. A Anheuser-Busch teve controle familiar durante a maiorparte de sua história, que começou em 1861, quando AdolphusBusch se casou com Lilly Anheuser e foi trabalhar na cervejariade seu sogro. Avalia-se que a direção da empresa e a família Busch queremcontinuar independentes, mas a parcela pertencente ao clã é decerca de 4 por cento --algo que não impediria um acordo. Além disso, Adolphus A. Busch IV, outro tio dodiretor-executivo da empresa, deu apoio ao acordo com a InBev.

MARTINNE GELLER, REUTERS

22 de junho de 2008 | 12h40

Tudo o que sabemos sobre:
ALIMENTOSBUDINBEV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.