Mercado eleva previsão de inflação em 2011 e reduz em 2012

De acordo com a pesquisa Focus, a expectativa para a inflação neste ano subiu para 6,52%; para 2012, projeção caiu para 5,39%

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

19 de dezembro de 2011 | 09h20

As projeções para a inflação apresentaram trajetórias opostas na pesquisa Focus divulgada há pouco pelo Banco Central, com queda das previsões para 2012 e elevação para 2011. De acordo com as estimativas feitas semanalmente pelo mercado financeiro, a mediana das expectativas para o IPCA no próximo ano caiu de 5,42% para 5,39%, no terceiro recuo consecutivo. Há um mês, o número estava em 5,55%.

Para 2011, no entanto, economistas voltaram a elevar as previsões e a expectativa para o índice subiu de 6,50% para 6,52%. Com a alta, o número voltou a ficar em patamar acima do permitido pelo regime de metas de inflação, que tem como centro 4,5% e margem máxima de 6,50%.

O aumento das previsões para 2011 aconteceu porque a expectativa para o IPCA de dezembro - dado que será conhecido no início de janeiro - subiu de 0,50% para 0,53%. Em trajetória inversa, a aposta para a inflação do primeiro mês de 2012 recuou de 0,61% para 0,60%.

Juro

O mercado financeiro manteve a estimativa para o patamar do juro básico da economia brasileira (Selic) no fim de 2012. De acordo com a pesquisa Focus, a mediana das previsões para a taxa de juros ao final do próximo ano seguiu em 9,50% após duas semanas seguidas de queda das expectativas. Há um mês, o mercado ainda esperava juro de dois dígitos em 2012, de 10%.

Pelas contas do mercado financeiro, o BC deve manter o ritmo de cortes em 0,50 ponto porcentual nas reuniões marcadas para janeiro, março e abril de 2012. Com essa velocidade, a taxa Selic cairia dos atuais 11% para 9,50% no início do segundo trimestre do ano que vem.

PIB

A previsão para o crescimento da economia brasileira neste ano caiu mais uma vez. O relatório Focus mostra que a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011 - índice que mede o tamanho e a evolução da economia - recuou pela quarta semana seguida, passando de 2,97% para 2,92%. Há um mês, o mercado previa expansão mais forte da economia em 2011, de 3,16%.

Para 2012, porém, os números não foram alterados. De acordo com o levantamento, a mediana das expectativas para a expansão manteve-se em 3,40%, ante os 3,50% registrados quatro semanas antes.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Focusinflaçãojuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.